Siga-nos

Marcos Ortiz

Opinião: Guarani confirma Armero, mas segue contratando sem planejamento

Publicado

em

Antes de mais nada é preciso dizer que em nenhum momento o Guarani, sua diretoria ou o departamento de futebol comandado por Fumagalli anunciou que haveria reunião para decidir a permanência ou não do técnico Vinícius Eutrópio, portanto, não adianta criar expectativas quanto à demissão do treinador neste momento. Se ela acontecer será traumática como foi a derrota na partida que culminou com a saída de Osmar Loss, o Guarani estará sacramentado na zona do rebaixamento e em uma posição ainda inferior do que a que ocupa neste momento (que já é péssima).

Preciso falar sobre outras questões também. Dentro de campo os problemas do Guarani vão muito além de um bom ou mau trabalho de treinador e comissão técnica. Eles passam por um elenco desequilibrado que preservou nomes já desgastados pela disputa do Campeonato Paulista e trouxe outros no mínimo contestáveis.

No gol a Torcida não confia em Giovanni, não é a minha opinião, é a opinião da maioria da Torcida. Sonho de consumo? Kléver que deixou boa impressão na única partida inteira que fez a vitória sobre o São Paulo no Paulistão, ou Jefferson Paulino contratado depois de ser eleito melhor goleiro do Campeonato Carioca.

Nas laterais, segundo o CA, por questões financeiras, dispensamos o melhor lateral esquerdo que tínhamos, ficamos com Inácio e Bidu, me parecia uma posição bem coberta, portanto considero desnecessária a contratação confirmada hoje pelo clube de Armero, jogador de 32 anos que sim, já jogou muita bola na vida e se jogar 50% do que já jogou é melhor que todos os outros, mas a lateral esquerda não era posição carente, a direita sim, é.

Na direita temos Lenon que reassumiu a titularidade, ele acerta erra como todos os jogadores, mas inegavelmente é a única válvula de escape do time pelas beiradas. O problema é que não tem substituto à altura, Léo Príncipe, emprestado do Corinthians não demonstra interesse em permanecer no clube após a saída dos seus amigos Osmar Loss e Coelho, nesta posição sim, caberia uma contratação.

Na zaga temos outros problemas, a dupla Ferreira e Xandão não se acerta e o treinador tem apenas três outras opções, Thalisson Kelven, que desde quando chegou sequer entrou em campo e Bruno Lima que na zaga não atuou, mas quando jogou improvisado exatamente na lateral direita, foi decepcionante. Perdemos um jogador para a lateral direita em caso de necessidade, mas e o zagueiro? Resta Giaretta, que por mais que o treinador tenha dito ser lateral esquerdo, me desculpe, é zagueiro que pode atuar improvisado na lateral, mas é melhor evitar. Resumindo, precisamos de dois zagueiros.

Nossa dupla de volantes na primeira etapa da partida de ontem se acertou, o problema é que na segunda desandou como não tinha desandado até agora nas outras cinco partidas. Repito, Deivid está pontos abaixo de Ricardinho e observem que, enquanto Deivid marcou e correu em campo no primeiro tempo, Ricardinho apareceu como ponta de lança e elemento surpresa, sem ele o gol não teria saído. Precisamos de um primeiro volante? Talvez… mas o primeiro volante não pode ser Deivid.

Nas meias tivemos a mesma oscilação de rendimento dos volantes, um primeiro tempo aceitável e um segundo deplorável. Terminou com a expulsão de Arthur Rezende e com Felipe Amorim deixando claro que é meia atacante, jamais meia armador. Resultado: Precisamos de dois meias, não adianta improvisar atacante no setor, precisamos de meias.

E no ataque está uma das piores produtividades Bugrinas, este setor só perde para a defesa. Dois gols marcados, isso porque considero Mateusinho segundo atacante e não meio de campo, e nada mais. Alias até agora o Guarani num todo marcou apenas quatro gols em seis jogos, ou melhor, marcou gols em apenas dois jogos, Vitória (3×2) e Brasil-RS (1×2), é de longe um aproveitamento pífio. Os outros dois gols foram marcados por Arthur Rezende e Felipe Amorim, meias. Resultado: Precisamos de atacantes, e não podem ser atacantes no nível de Deivid Souza, o Guarani tem Diego Cardoso para essa posição, desde que tenha um centroavante, tem ainda Mateusinho, Renan, Davó, apostas que não podem ser lançadas como foi Davó naquela fogueira de ontem.

E ai o clube anuncia Pablo Armero. Bem vindo ao Guarani, mas não era o que precisávamos. Jogue bem, jogue muito, ajude o time, mas realmente não era a posição carente do time, havia muitas outras carências a serem preenchidas no elenco. Resultado: Contratou sem planejar, contratou porque achou que seria uma boa opção no mercado, uma oportunidade, e agora que está confirmado, tomara que seja mesmo.

Já sobre o treinador quero falar pouco, mas falar alguma coisa. Eutrópio tem uma fala mansa, é daquelas pessoas que tenta cativar pela boa prosa, pela conversa, mas isso não será suficiente, sequer passará perto de ser, se não conseguir fazer esse time produzir alguma coisa dentro de campo. Os pontos que ele destaca não condizem com os que a maioria enxerga, ele adora uma improvisação, faz até mesmo quando tem jogador da posição à disposição e cmo se apresentou nesta semana como especialista em transição das categorias de base par ao profissional, decepcionou.

Se sua intenção era lançar Matheus Davó no time, deveria ter feito isso quando colocou Deivid Souza, não depois, quando a Torcida gritou o nome do prata da casa. Mexeu errado, enfraqueceu a marcação quando o time tomava sufoco, apostou num ataque com Davó, Cardoso e Deivid Souza que creio eu sequer treinaram juntos, porque nenhum deles achou uma posição em campo no tempo em que atuaram juntos.

Eutrópio não deveria ter vindo, agora que veio tem mais dois jogos pra mostrar a que veio. O Guarani, se tomar uma decisão de troca na comissão técnica, o fará somente após a partida contra o Coritiba, a não ser que o próximo resultado seja catastrófico demais em Goiânia contra o Atlético-GO, clube que traz péssimas lembranças ao Torcedor Bugrino. E não, eu não gostei de ver o treinador transferindo toda a responsabilidade da derrota para o elenco, ele tem sua parcela sim e analisando mais profundamente, corre sério risco de perder ainda o pouco de elenco que tem se insistir que espera reforços. Nós podemos dizer isso, ele não.

O que esperar? Neste momento eu espero muito pouca coisa, preciso ver um time em campo e ainda não vi nesta competição, o time que vi faz jus a uma posição na zona do rebaixamento, nada além disso.

O que virá? Não sei, não sou “futurólogo”, sou Torcedor. Mas a impressão que fica é que com esse time a gente só briga pelo que tá brigando e dificilmente escapa de onde está hoje. Pode mudar? Pode, mas pra mudar, todos, jogadores, dirigentes, treinador, enfim, todos, precisam dar muito, mas muito mais mesmo do que o que deram até agora, se melhorar 50% a gente briga pela 15ª colocação, se melhorar 100% pelo meio da tabela.

E o acesso? Sinceramente, eu seria ridículo se falasse nesse assunto depois do que vimos do Guarani nestas seis primeiras rodadas do Brasileiro da Série B.

A gente se fala durante a semana. Grande abraço.

Marcos Ortiz

Advertisement
Advertisement
Advertisement

A volta da Capa do Gigante


	
	
	

Clique para ativar o som

Próxima Partida – 22/11 21:30

+ Recentes

Copyright © Planeta Guarani - Todos os Direitos Reservados - Permitida Divulgação Apenas com Preservação da Fonte - Desenvolvido por: OZ Sites.