Siga-nos

Opinião

Opinião: Dois jogos iguais com finais diferentes – Por que o empate não me satisfez?

Publicado

em

Foto: Lucas Cerejo/TV TEM.

É, o empate foi um bom resultado… essa foi a frase mais ouvida nas entrevistas após a partida São Bento 1×1 Guarani já no comecinho da noite de sábado ao final da partida.

Com este empate o Bugre chegou aos 36 pontos, poderia ter ido aos 38 se vencesse o jogo e abriu o placar, portanto poderia ter vencido, mas não venceu, do mesmo jeito que ganhou o gol, deu o gol de presente em falhas do seu sistema de marcação, primeiro pelo lado direito, depois pela defesa toda.

Mas a caçapa já estava cantada, o Bugre jogaria pelo empate em Sorocaba e os ouvintes da nossa programação na Radio Planeta Guarani já sabiam disso pois analisando as entrevistas de antes da partida o assunto era pontuar, a palavra vencer foi trocada por pontuar nas declarações.

Pois bem, claro, empatar é melhor que perder, sim, de fato é. Se o Guarani tivesse ao menos empatado alguns dos jogos que perdeu, e foram muitos, o Bugre é o terceiro time que mais perdeu jogos nesta Série B, só está atrás de São Bento (17) e Londrina (16) neste retrospecto, acumulando 15 derrotas e é o segundo time que menos empatou (6 vezes, contra 5 do Londrina) e isso pesa mais ainda quando analisamos o G4 da Série B que tem Sport e Atlético-GO com 14 empates cada um, só ai são 08 pontos que o Guarani deixou de ganhar mesmo não vencendo os jogos, e com oito pontos a mais a equipe estaria livre do rebaixamento com 44 pontos ganhos, olhando até pra coisas maiores (o quarto colocado tem 48).

Então, sim, por esse lado o empate não pode ser tido como mau resultado, mas como o se não entra nas estatísticas e essas derrotas não virarão empates, vamos entender porque o empate foi ruim?

O Guarani tinha, até esta partida, oito jogos por disputar até o final da Série B, agora são apenas sete. Nestes oito jogos o time teria pela frente quatro jogos em casa, mas jogos contra equipes que estão à frente na tabela de classificação (Sport, o Dérbi, Operário-PR e América-MG) e quatro jogos fora de casa, quase todos eles contra times que estão atrás (São Bento, Vila Nova e Londrina), a exceção é o RedBull/Bragantino.

Eram 35 pontos somados, vencendo os três confrontos contra times da parte de baixo da tabela o Guarani escaparia do rebaixamento chegando aos 44 pontos, mas como não venceu o São Bento, agora terá que vencer um os times que está à sua frente. Claro, a gente tem o dérbi e pra nós Torcedores vencer este confronto, jogando em casa, é obrigação e eu tenho que confessar a vocês, eu contava com essa vitória pra ter uma “gordurinha”.

E querem mais um exemplo de por que eu considero o resultado em Sorocaba como ruim? O Vitória veio a Campinas no domingo com 33 pontos ganhos, brigando contra o rebaixamento, apenas um pontinho à frente do Figueirense. Abriu o placar e foi um jogo muito parecido com São Bento x Guarani, o time da casa teve mais posse de bola, chutou mais vezes no gol, finalizou mais vezes no jogo e buscou o empate.

Qual foi a diferença? Uma só, o Vitória ganhava o jogo e tomava sufoco, seu treinador, no exato momento em que o adversário tinha um pênalti a seu favor e provavelmente sofreria, como sofreu, o empate, fez sua alteração tirando um atacante de referência que não conseguia receber a bola (Anselmo Ramon) e colocou um meia pra fazer a bola chegar ao ataque. Pouco depois, aos 35 minutos, trocou um atacante por outro, saiu Wesley e entrou Caicedo e aos 38 minutos tirou um meia e colocou um volante pra reconstruir a marcação.

É, Geninho poderia ter se satisfeito com o empate por 1×1, aceitado a pressão do adversário, mas enxergou que, recuperando o poder de armação e colocando um atacante rápido, descansado, que joga tanto pelas beiradas quanto centralizado e depois recuperando seu sistema de marcação no meio de campo, poderia aproveitar os espaços de um adversário que se lançava ao ataque pra virar o placar e, contra atacando, chegar ao segundo gol.

46 minutos do segundo tempo e bingo, gol do Vitória, quem marcou? Caicedo, o atacante que entrou aos 35 minutos no lugar de outro atacante que só jogava pelos lados do campo,e ele fez o gol num lance de contra ataque, depois de receber um cruzamento da esquerda e estava lá, centralizado, dentro da pequena área, empurrando a bola pro fundo do gol.

Prêmio pro Vitória que não desistiu do jogo, soube que levaria pressão mas se armou pra contra atacar, porque espaço era o que ele mais tinha contra um adversário que viria de qualquer jeito buscar o segundo. Pena que com esse resultado o Vitória chegou aos mesmos 36 pontos do Guarani, ainda está atrás na tabela, mas naquele jogo ganhou o time que não se contentou com o empate , não desistiu do jogo e venceu.

Realmente, o Guarani não tinha as peças que o Vitória tinha pra substituir, mas até certo momento fez o certo, tirou um volante (Marcelo) e colocou um meia (Filipe Cirne) aos 18 minutos do segundo tempo, ótimo, queria recuperar a posse de bola e se armar pra aproveitar os espaços, mas depois aceitou o empate quando tinha um meia/atacante (Lucas Crispim) que foi substituído por um volante (Ricardinho) aos 28 minutos. Resultado? Continuou em campo com Michel Douglas que mal pega na bola, e quando pega tem que sair da grande área, e Davó jogando aberto, mas “péra lá”, Davó não pode ser um “Caicedo” e jogar tanto aberto quanto centralizado na referência?

Pode… então cabia um Renanzinho ou um Diego Cardoso (e isso dependia muito de qual deles fosse escolhido demonstrar vontade em campo) tentando dar mais ao Guarani do que deu ou tem dado Michel Douglas?

Depende… do que? Depende do que o time quer buscar… se era só pra empatar tava bom, como de fato esteve.

A gente se fala

Marcos Ortiz

Advertisement
Advertisement
Advertisement

A volta da Capa do Gigante


	
	
	

Clique para ativar o som

Próxima Partida – 22/11 21:30

Brasileiro - Série B

Guarani FC X América-MG

Campeonato Brasileiro - Série B

+ Recentes

Copyright © Planeta Guarani - Todos os Direitos Reservados - Permitida Divulgação Apenas com Preservação da Fonte - Desenvolvido por: OZ Sites.