Siga-nos

Luiz Galvão

Opinião: Com titulares Guarani poderá se reabilitar diante do Sampaio Corrêa

Publicado

em

Depois do percalço sofrido pelo Guarani no jogo de estreia fora de casa, o Bugre  volta a Campinas para a preparação do jogo do próximo sábado no Brinco. Na primeira rodada houve somente um empate e foi entre Brasil de Pelotas e São Bento (1×1), resultado que deveria ser o mesmo para o Guarani não fosse o árbitro Claudio Francisco Lima e Silva – SE (CBF) em um jogo normal de bola corrida acrescentar 5 minutos ao tempo, além de nos primeiros 10 minutos de jogo aplicar dois cartões amarelos aos defensores do Bugre Philipe Maia e Marcílio e mais dois no decorrer da partida para Bruno Brígido e Ricardinho.

Quatro cartões para o visitante em faltas corriqueiras é no mínimo um juiz caseiro que apita com a torcida e teve o descaro de anotar na súmula sobre ocorrências o seguinte fato: “…Ao término da partida recebemos no vestiário a presença do diretor de futebol da equipe do Fortaleza Sr Sergio Papelin onde fomos parabenizados pelo trabalho realizado”.

A falta cometida por Ricardinho na intermediária não foi um aberração e nem tampouco o gol sofrido por Bruno Brígido, uma vez que Gustavo é homem de confiança de Rogério Ceni (ex-especialista) em bola parada e não decepcionou, colocou a bola no ângulo. Agora o Bugre terá o reencontro com sua torcida depois de uma final com o Brinco lotado e um show de bola.

Quanto ao próximo adversário, o Sampaio Correa disputou o campeonato maranhense com apenas 8 times em 3 fases, não chegando nem às semifinais, terminando na 5ª colocação com apenas 3 vitórias 1 empate e 3 derrotas.

Para a série B o Tricolor de São Luiz teve até o momento 8 reforços, os meias Bruninho (XV Piracicaba), Danielzinho (Linense) e João Paulo (Ferroviária), os laterais Alyson (Atlético-PB) e Marcelo (Macaé-RJ),  o atacante Claudio Maradona (Boavista-RJ),  e também os volantes William (Madureira-RJ) e Diego Silva (Atletico-GO) que teve passagem pelo Bugre em 2015.

De todos reforços do time maranhense somente William entrou em campo e o Sampaio Corrêa ocupa a liderança junto com Oeste, após a vitória por 2 gols sobre o Coritiba no Castelão, sendo que um dos gols foi marcado pelo time adversário (gol contra).

Jogar em casa com apoio da torcida e com o time titular poderá fazer o jogo ser menos difícil para o Bugre. O ideal seria vencer por um placar razoável com pelo menos 2 gols de diferença e é isso que esperamos. Melhoraria o posicionamento na tabela de classificação e ajudaria a buscar o G4 na sequência, lugar de acesso a elite nacional do futebol profissional.

Lembrando que na estreia da série B todos os visitantes perderam à exceção do Papão da Curuzu (Paysandu) venceu fora o outro time da cidade.

 

AVANTE AVANTE MEU BUGRE >>>–HSG—>>
Luiz Galvão

Advertisement


Luiz Galvão

Análise de Luiz Galvão: Guarani, seu desempenho no Paulistão e seus artilheiros

Publicado

em

Por

Desempenho do grupo B paulista 2019 - Arte: Luiz Galvão.

O Guarani entrará em campo no domingo 10 de fevereiro às 20:00 pela sexta rodada do Paulistão 2019 para enfrentar o Botafogo-SP, último colocado do grupo D, que após vencer o São Caetano por 3×0 na noite de ontem chegou aos quatro pontos, porem segue lanterna do seu grupo.

No jogo contra o Guarani o Botafogo se despede dos enfrentamentos do grupo (B), pois além do empate com São Bento por 1×1, perdeu para Palmeiras e Novorizontino pelo placar de 1×0, mas depois da vitória sobre o São Caetano por 3×0 ganhou um pouco de ânimo para enfrentar o Bugre. Antes a equipe de Ribeirão preto era a lanterna da classificação geral

A sexta rodada poderá colocar definitivamente o Guarani na segunda colocação do grupo, pois o seu concorrente direto o Novorizontino perdeu de 3×0 para São Paulo, enfrentará nesta rodada o Corinthians. Já o Palmeiras enfrentará o Bragantino líder do grupo “C” com 8 pontos, time que venceu o Bugre no Brinco de Ouro na primeira rodada.

A torcida do Guarani deve estar de olho não no alviverde da capital pois o Palmeiras provavelmente terá uma vaga garantida para próxima fase devido a boa campanha e ao bom elenco, mas sim no Novorizontino seu concorrente direto que na sétima rodada enfrentará o rival “outro time de Campinas” enquanto o Bugre encara o Santos no Pacaembu.
O técnico Osmar Loss parece ter as rédeas nas mãos, lembrando que a derrota para o Bragantino foi com um gol chorado onde a bola entrou mais por sorte do time adversário em detrimento a habilidade dos atacantes. Contra o Oeste o “dilúvio” no Brinco de Ouro tirou o favoritismo do Guarani com melhor técnica onde a bola não rolava e ficava retida nos charcos de água no gramado. A observação feita aqui é que vale para qualquer equipe mandante quando entra em campo, a intempérie.

Não há mais nenhum time invicto no campeonato, mesmo o Santos com melhor desempenho mostrou vulnerabilidade ao levar a maior goleada até agora tomando 5 gols fazendo apenas 1 no Ituano no Novelli Júnior.
A Torcida Bugrina ainda não está muito confiante na comissão técnica e no próprio elenco por ainda não ter vencido times com menor investimento, mas a vitória sobre os bilionários da Capital e os tabus quebrados mostram um Guarani pronto para alcançar estabilidade e avançar na competição para próxima fase. Para isso, necessita apoio incondicional da MAIOR DO INTERIOR, pois é o que temos para hoje e qualquer mudança poderia provocar instabilidade durante o campeonato curto como esse não havendo tempo de se arrumar.

O Campeonato Paulista agora em fase de grupos desde de 2014 com 20 clubes e com 16 clubes desde 2016 teve apenas 3 campeões nesta modalidade sendo Ituano Santos (2x) e Corinthians (2x).

Na história do Paulistão o Guarani chegou entre os 4 pelo menos 9 vezes sendo quarto colocado em 1927,1928, 1973 e 1979. Em terceiro nos anos de 1976, 1978 e 1981 e ainda duas vezes vice-campeão nos anos de 1988 e 2012 e teve como artilheiros do campeonato Jorge Mendonça em 1981 com 38 gols, Evair com 19 gols em 1988 e Ruben com 12 gols no ano de 1990.

Para avançar a próxima fase necessita de pelo menos 19 pontos e para não rebaixar de pelo menos 12 pontos (conforme média dos dois últimos anos com 16 clubes). Isto significa uma tranquilidade a mais para o torcedor pois mais duas vitórias livraria o Bugre de rebaixamento.

E se quiser avançar no campeonato deverá vencer pelo menos mais 4 jogos dos 7 restantes. Vale lembrar ao torcedor, independentemente da situação do Guarani no final da primeira fase, terá os dois últimos confrontos contra os times de Campinas onde a adrenalina irá exalar pelos poros não só dos jogadores como de todo torcedor da única e real Maior do Interior, a Torcida do Guarani obviamente.

É o Guarani na elite do futebol paulista

Luiz Galvão
>>>—-HSG—>

Continue Lendo

Luiz Galvão

Opinião de Luiz Galvão: Querendo ou não, Bugre volta às principais manchetes esportivas

Publicado

em

Por

Recortes da repercussão em portais esportivos espalhados pelo Brasil - Arte: Luiz Galvão.

O anúncio oficial feito pela diretoria do Guarani através do presidente do Conselho de Administração Palmeron Mendes Filho causou em parte da torcida comoção nas redes sociais e até um certo histerismo por parte de alguns torcedores, mas inversamente, a mesma repercussão, desta vez positiva, se deu nos diversos e principais veículos de comunicação com manchetes na área esportiva.

Para as condições atuais do Bugre não há muito que esperar e até mesmo pela forma de administrar dos atuais comandantes do Bugre, que em algumas ocasiões se mostram irredutíveis em relação a opinião da torcida, menosprezando as redes sociais.

Vendo pelo prisma da diretoria obviamente podemos entender a decisão, pois para o mesmo campeonato neste ano 2018, embora fosse em divisão inferior, o clube apostou no auxiliar técnico Umberto Louzer que conseguiu não só o acesso, mas o título da categoria onde estava desde de 2014, tendo com isso voltado para a Copa do Brasil sem depender do ranking para a disputa da competição.

Mas não podemos ver apenas como uma aposta baseados em resultados positivos, pois o namoro por parte do diretoria ou pelo menos alguém de influência dentro do Guarani e Osmar Loss já vinha sendo cogitado desde o rebaixamento em 2013 quando o então presidente Álvaro Negrão de Lima havia tentado trazê-lo para o Brinco de Ouro quando o então treinador da categoria de base do Corinthians, mas o mesmo preferiu comandar o Sub 20 do time da Capital, conforme matéria publicada pela página do Planeta Esporte em 12 de novembro de 2013 pelo jornalista Henrique Nunes.

Osmar Loss não foi só treinador da categoria de base, mas auxiliar técnico e comandante do time principal do Corinthians por 25 rodadas após a saída do técnico Fabio Carille e por diversas vezes foi técnico interino do Internacional-RS onde teve início sua carreira em 1994, além de ter comandado Bragantino e Juventude.

Hoje com 43 anos o gaúcho de Passo Fundo tem como missão comandar um time de tradição com a maior torcida em clube do Interior no Brasil que espera não só a manutenção na competição do Estadual em 2019, mas que seja digno do cargo ocupado.

A nós torcedores do Bugre não resta outra opção a não ser torcer para dar certo, pois não estamos torcendo para um técnico e sim para um clube Campeão Nacional, tanto da série B (1981) quanto na elite do Futebol Nacional (1978) e ainda atual Campeão Paulista da Série A2 em 2018. Isso não é pouco, tomara que Osmar Loss chegue ao Guarani sabedor da responsabilidade e do desafio que irá assumir.

Se posso dizer que “não queria”, agora digo “BOA SORTE!” Osmar Loss, seu sucesso será nossa alegria.

Por Luiz Galvão
>>>—HSG—->

Continue Lendo

Luiz Galvão

Análise de Luiz Galvão: Pacto de apoio da Torcida Bugrina empurra o time para o G4

Publicado

em

Por

Gráfico de aproveitamento de Guarani e Vila Nova na Série B de 2018 - Arte: Luiz Galvão.

Com o sexto pior ataque com 26 gols marcados, superando apenas o Brasil de Pelotas e os clubes que estão na zona de rebaixamento até a início da 29ª rodada o Vila Nova conta a seu favor com a melhor defesa da série B sofrendo até agora 20 gols.

Seu retrospecto em casa é de cinco vitórias, sete empates apenas uma derrota contra CSA ocorrido na 8ª rodada. Está há nove jogos sem perder em seus domínios.

Os números mostram que o time goiano joga na retranca buscando segurar resultado, pois dos 26 gols feitos no campeonato 12 gols ou 46% foram marcados jogando em casa menos da metade, a maioria em empates no total (6) fazendo apenas 2 gols.

Por outro lado o Bugre já venceu quatro jogos fora: (CSA, Oeste, Londrina e Sampaio Correa) empatou cinco: (Goiás, Avai, outro time da cidade, Criciúma e CRB) perdendo quatro: (Fortaleza, Atlético Go, Juventude e Paysandu). Assim, o Guarani possui um aproveitamento de 44% em jogos fora de casa com uma sequência positiva de cinco jogos sem perder em terreno alheio.

O Alviverde Campineiro marcou um terço do total dos gols em campo de adversários, 12 dos 36 gols marcados e levou 14 dos 29 sofridos no campeonato.

Os números, tanto de Guarani como de Vila Nova, apontam para um jogo difícil em que o Tigre deverá tentar segurar o resultado de empate, porém a boa fase do Bugre o credencia a não fazer feio, podendo até trazer três pontos para Campinas e com um resultado positivo poderá motivar ainda mais a torcida que pactuou simbolicamente apoio ao Guarani visando o acesso, (lembremos do feedback favorável após matéria publicada no ultimo dia 17 de setembro aqui no Planeta Guarani por Marcos Ortiz).

No gráfico podemos observar que o Vila Nova manteve-se até a vigésima rodada na frente do Bugre, foi superado por cinco rodadas da vigésima primeira a vigésima quinta, se recuperando nos dois jogos seguintes mas, o Guarani voltou a ultrapassar o Tigre na última rodada, mostrando sua regularidade no segundo turno, enquanto houve um descenso do colorado goiano.

São ingredientes para um bom jogo, e para uma pitada a mais fizemos uma analogia: Com a chegada do goleiro Agenor em comparação a Oliveira, (matéria publicada aqui em 29 de agosto, quando em quatro jogos houve evolução e melhora no setor defensivo. Agora já são oito jogos com o Goleiro Agenor Detofol, sendo quatro vitórias, três empates e apenas uma derrota). E neste período o Guarani marcou sete gols e sofreu três, sendo que dois gols foram na derrota para o Goiás no Brinco, ou seja, o goleiro Agenor não perdeu nenhum jogo fora e tomou apenas um gol de pênalti no empate por 1×1 contra CRB em Maceió (Al).

Nada mal para um setor muito cobrado após a saída do goleiro Bruno Brígido, campeão da A2 Paulista.

Uma vitória fora de casa poderá colocar o Guarani no G4, em seguira virá mais um jogo fora contra o São Bento para logo na sequencia enfrentar outro concorrente direto, o Avaí no Brinco de Ouro provavelmente com casa cheia.

Nós acreditamos no acesso e se bobearem quem sabe no título.

“A cada nova jornada, Guarani é mais amor. Avante, avante meu Bugre”

 

Por Luiz Galvão

>>>—HSG—>

Continue Lendo
Advertisement

Guarani 2×1 São Caetano – Imagens do PG


	
	
	

Clique para ativar o som

Próxima Partida – 27/04 16:30

Brasileiro - Série B

Guarani FC X Figueirense-SC

Estádio Brinco de Ouro da Princesa
Campeonato Brasileiro - Série B

+ Recentes

Copyright © Planeta Guarani - Todos os Direitos Reservados - Permitida Divulgação Apenas com Preservação da Fonte - Desenvolvido por: OZ Sites.