Siga-nos

Entrevistas

Jogo sem vergonha e o treinador tem coragem de dizer que foi o melhor 1º tempo de todos?

Publicado

em

Foto: Letícia Martins - Guarani FC.

Depois de envergonharem o Torcedor Bugrino mais uma vez perdendo um jogo em casa pra um time tão ruim quanto eles, as estrelas intocáveis dos jogadores se recusaram a falar com a imprensa na saída do gramado, restou então acompanhar a entrevista coletiva, ou melhor, o monte de besteira desconexa dita pelo treinador após a partida, e pela entrevista que você pode ouvir no player abaixo, está claro porque o Bugre está assim, ele não sabe mais o que faz, muito menos o que fala.

“Nós fizemos um primeiro tempo que talvez tenha sido o melhor que fizemos dentro de casa”, foi com esta pérola que Roberto Fonseca abriu sua entrevista coletiva, cantando a bola como que pedindo “me mandem embora, me mandem embora…”

“É aquele negócio, a fase quando não é boa acaba não ajudando. Primeiro tivemos chances de sair na frente do adversário, mas isso está sendo recorrente e acaba levando a uma intranquilidade que o adversário acabou aproveitando” disse o treinador. Roberto Fonseca, seu time precisa treinar funamento, seus jogadores precisam treinar fundamento, passe, lançamento, domínio de bola, finalização, como chutar a bola quando está na frente do goleiro, coisas que eles deveriam ter aprendido no Sub-15. Será que você consegue fazer isso?

Ao ser questionado sobre por que optou em não colocar Marquinhos em campo optando por Arthur Rezende e Felipe Amorim nas substituições, o treinador se defendeu assim: “Nós colocamos aquilo que achávamos que tinha de melhor, até na parte física o Amorim está na frente, a gente achou que teria mais agressividade, colocamos o Renan, tiramos um dos volantes, as alterações foram em cima de agressividade pra termos uma imposição física a mais que o adversário”.

Um dado que trouxemos nesta sexta feira e que agora piorou, o time passou 10 jogos sem marcar gols em 16 que disputou. E Fonseca que foi questionado sobre que agressividade seria essa, e o fato de o Guarani estar há 11 rodadas seguidas na zona do rebaixamento, mas ele respondeu assim: “Desde quando cheguei aqui já estava essa preocupação (rebaixamento), ela é enorme e só tem aumentado (reconhecendo então que seu trabalho é péssimo e seu time é horroroso), a intranquilidade tem nos levado, a cobrança da Torcida tem que existir, infelizmente isso tira a tranquilidade nos momentos da definição tanto no primeiro como no segundo tempo. Eles praticamente tiveram quase 100% de certo, fizeram no primeiro e no segundo tempo e mataram o jogo”.

E para ele a postura de não falar após a partida dos jogadores está correta: “É um momento que quanto menos falar e trabalhar mais tem que ser assim. Os jogadores tem união, sabem do momento crítico,mas o ambiente dentro eles é bom, desde quando cheguei não encontrei problema nenhum, mas eles tem que traduzir isso dentro de campo. Eu sinto essa união em vários gestos deles, essa vontade de sair, esse trabalho, mas como foi hoje o adversário praticamente deu um chute e nessa única bola tomamos um gol”.

Já são duas derrotas seguidas, uma delas no dérbi, diante disso a pergunta foi se o lado emocional do elenco estava abalado: “Claro que quando você perde (um dérbi), principalmente pela forma como a cobrança acontece, o perdedor tem críticas e cobranças, mas nós profissionais temos que saber que entramos em campo e tem três resultados. Claro que tem que sentir, perder não pode ser uma coisa normal, temos que ser vencedores, tenho pregado isso a eles, mas infelizmente acontece a intranquilidade na hora que aparecem as oportunidades e depois o jogo vai se desenrolando, ai quando você toma fica difícil, tanto que nosso segundo tempo ficou muito abaixo do primeiro”.

Finalmente alguém contestou uma resposta do fraco Roberto Fonseca que disse que a preocupação com o rebaixamento existe desde que ele chegou e o disse que ele foi contratado pra mudar isso. Mais além na pergunta do repórter Gustavo Biano da EPTV o treinador foi questionado sobre o que aconteceu pras coisas terem piorado, e Roberto Fonseca se esquivou da responsabilidade:

“Você perde uma partida que o Torcedor cobra mais do que o normal e isso se transforma em intranquilidade no restante do jogo, tomamos o gol e instantaneamente no próximo jogo. Tem que levantar o astral, tem que elevar a moral e isso é feito, mas não é só chegar e falar, tem a conduta, na hora da conduta tem que ter hombridade, confiança e realmente com as derrotas elas acabam sempre aumentando (o correto não seria diminuindo?)”.

Esta foi a entrevista coletiva “mais do mesmo” de Roberto Fonseca, o treinador que não escala o time do Guarani, acreditem,ele não escala o time e não tem sequer liderança para fazer as substituições. Pode ir embora, não vai fazer falta, já caímos mesmo… que venha alguém mais barato, que a gente jogue com o Sub-20 mesclado com o Sub-17, vamos ao menos economizar salários, quem sabe assim dê pra pagar algumas das indenizações trabalhistas de tantos jogadores ruins que foram contratados.

É muita incompetência pra pertencer a uma pessoa só. A gente ainda tem que ouvir que este foi o melhor primeiro tempo de todos os que o time fez jogando em casa? Foi nada, foi a mesma merda de todos os outros, uma cagada em cima da outra.

 

Marcos Ortiz

Advertisement
Advertisement

Radio PG – Gol de Vitória 0x1 Guarani


	
	
	

Clique para ativar o som

Próxima Partida – 21/09 11:30

Brasileiro - Série B

Guarani FC X Paraná-PR

Campeonato Brasileiro - Série B

+ Recentes

Copyright © Planeta Guarani - Todos os Direitos Reservados - Permitida Divulgação Apenas com Preservação da Fonte - Desenvolvido por: OZ Sites.