Siga-nos

Notícias

Histórico! Novo levantamento traz os 10 maiores artilheiros do Bugre

Publicado

em

A história do Guarani Futebol Clube segue sendo contada e o maior clube de futebol do interior do Brasil finalmente escreve um capítulo importantíssimo reverenciando os nomes daqueles que vestiram essa camisa e agora puderam ser apresentados à sua Torcida.

Celso Franco Oliveira Filho autor dos livros Fora dos Trilhos – A História do EC Mogiana’ e ‘A Rota das Bandeiras – A História do Futebol no Interior de São Paulo. Foto: Acervo pessoal.

Mais uma vez coube aos Torcedores. O Bugrino, pesquisador e historiador, Celso Franco Oliveira Filho (foto) que na década de 1980 trouxe à realidade os números verdadeiros do Dérbi derrubando alguns mitos, agora presta mais um grande serviço à história do Maior do Interior ao divulgar seu levantamento sobre as fichas técnicas de quase 4.900 jogos da história do Guarani Futebol Clube.

O assunto tem grande destaque na matéria do jornalista Carlos Rodrigues da RAC (Rede Anhanguera de Comunicação) na edição do jornal Correio Popular cuja matéria pode ser conferida na íntegra CLICANDO AQUI.

Abaixo reproduzimos a lista constante da matéria, como sempre agradecendo e prestando nossas imensas homenagens a Celso Franco e tantos outros amigos Bugrinos que juntos ajudaram (e continuam ajudando) a contar esta história, isso porque ainda faltam algumas partidas para que o Clube tenha resumidos todos os seus jogos oficialmente disputados e estes números podem aumentar.

Confira abaixo a relação dos 10 maiores artilheiros da história do Guarani Futebol Clube desde sua fundação em 02 de Abril de 1911 até os dias atuais, retirada da matéria do jornal Correio Popular e que aumenta ainda mais os números de Zuza, o mito, maior artilheiro da história do Guarani Futebol Clube:

 

Zuza

1 – ZUZA – 221 GOLS: Luiz Estevam de Siqueira Neto estreou em 29 de outubro de 1939 num amistoso contra o Fluminense, com vitória bugrina por 3 a 2. Aos 30’ do 1º tempo, Zuza marcava o primeiro gol com a camisa alviverde. Entre 1939 e 1948, foram 221 gols em 145 jogos, média impressionante de 1,52 por partida.

Nenê

2 – NENÊ – 137 GOLS: Arcelino Ferreira Pacheco estreou em 25 de abril de 1926 em empate em 1 a 1 com o Ipiranga, no Pastinho. O primeiro gol veio em 11 de julho de 1926, na vitória sobre o São João, de Piracicaba. Nenê defendeu o clube de 1926 a 1931 e algumas vezes em amistosos entre 1932 e 1936.

Careca

3 – CARECA – 118 GOLS: aos 16 anos, Antônio de Oliveira Filho estreou pelo Guarani em amistoso contra o Matsubara (PR), em agosto de 1977. No ano seguinte, o atacante estourou de vez. Dirigido por Carlos Alberto Silva, comandou o ataque bugrino no título brasileiro, com direito ao gol do título diante do Palmeiras.

Augusto

4 – AUGUSTO (foto) – 104 GOLS: chamado de Príncipe Negro, Augusto da Silva chegou no Guarani em outubro de 1951 numa troca com o São Paulo pelo lateral Turcão. O início foi avassalador, com seis gols nas duas primeiras partidas. Após uma cirurgia do menisco, foi emprestado à Ferroviária, mas depois voltou em grande estilo

Zéquinha

5 – ZEQUINHA – 95 GOLS: José de Carvalho chegou ao clube ainda garoto, em 1917, mas só estreou no time principal em maio de 1920. Seu primeiro gol foi em um amistoso contra o Floresta AC, na cidade de Amparo, em 10 de outubro do mesmo ano. Com um futebol fino, Zequinha era um dos grandes ídolos da torcida à época.

Roberto Caco

6 – ROBERTO CACO – 93 GOLS: Roberto Castro Lima vestiu a camisa bugrina entre 1923 e 1935. Seu primeiro gol foi contra o Combinado da Liga Municipal, em 3 de fevereiro de 1924. Caco esteve em campo na memorável virada sobre o Santos, quando o Bugre perdia por 5 a 1 e virou para 6 a 5 com nove jogadores.

Fumagalli

7 – FUMAGALLI (foto) – 89 GOLS: maior ídolo bugrino dos últimos 20 anos, José Fernando Fumagalli estreou em 2000 e marcou seu primeiro gol em abril, contra o Figueirense. Exímio cobrador de faltas e pênaltis, ultrapassará a marca de 300 partidas em 2018 e pode até alcançar o 5º lugar no ranking dos artilheiros.

Jorge Mendonça

8 – JORGE MENDONÇA – 88 GOLS: Jorge Pinto Mendonça era um gênio da bola. Marcou pela primeira vez em 22 de junho de 1980, contra o XV de Piracicaba. Em 1981, se tornou o maior artilheiro em uma edição do Campeonato Paulista depois de Pelé, com 38 gols. Também foi campeão da Taça de Prata naquele ano.

Villalobos

9 – VILLALOBOS – 87 GOLS: Jesus Villalobos Villegas é o único estrangeiro da lista. Chegou em Campinas em 1955 e se destacou na primeira excursão do clube ao Exterior. Seu primeiro gol foi em 13 de abril, em Rancagua, contra o O`Higgins. Villalobos foi o artilheiro do time no Campeonato Paulista de 1956, com 13 gols.

Fifi

10 – FIFI – 84 GOLS: Francisco Santana foi o primeiro atleta do Guarani convocado para a Seleção Brasileira — disputou o Campeonato Sul-americano Juvenil em Caracas, em 1954. No time principal, fez seu primeiro gol em 9 de maio de 1954, contra o Corinthians, de Santo André. Sua passagem pelo clube durou até 1960.

 

Marcos Ortiz

Referência: Os dez maiores artilheiros da história do Bugre – Por Carlos Rodrigues (RAC)

Advertisement


Notícias

Papo de Bugrino 5 – Criciúma 1×0 Guarani, lambança pura!!!

Publicado

em

Por

O Papo de Bugrino desta semana vem falando da partida Criciúma 1×0 Guarani, um show de lambanças do Guarani desde a escalação do Professor Pardal Vinícius Eutrópio, passando pela defesa que não se acerta de jeito nenhum, distribuindo a bola pro meio de campo inoperante e chegando ao ataque (de risos) do Guarani.

A corneta está solta nesse Papo de Bugrino 5 – Confira na ancoragem e com Edição de Marcos Ortiz.

Continue Lendo

Notícias

Eleições para os Conselhos Deliberativo e Fiscal acontecerão no dia 24/06

Publicado

em

Por

Nesta quarta feira (22/05) o Guarani Futebol Clube publicou no jornal Correio Popular  edital de convocação para a realização do processo que elegerá as novas composições dos Conselhos Deliberativo e Fiscal que originalmente estavam marcadas para o dia 11 de março e foram suspensas por decisão judicial liminar.

Diante da interpretação de que o mandato dos atuais Conselhos se encerraram no dia 31 de março, o edital de convocação foi publicado pelo presidente do Conselho de Administração do clube, Palmeron Mendes Filho e determina a data de 24 de junho para a realização da Assembleia Geral e o prazos para inscrições de chapas termina no dia 01/06/2019 às 17:00.

A partir de hoje, com a publicação do edital, a comissão eleitoral que foi mantida com os mesmos integrantes poderá se reunir e publicar o cronograma com os prazos e procedimentos que regularão todo o processo eleitoral.

Poderão participar das chapas todos os sócios proprietários titulares maiores de 18 anos, em dia com seus suas mensalidades, em pleno gozo dos direitos estatutários e com no mínimo dois anos de associação. Já o direito a voto é dado aos associados proprietários titulares maiores de 18 anos, em dia com suas mensalidades e com no mínimo um ano de associação.

O Conselho Deliberativo é composto por 80 Conselheiros eleitos, já o Conselho Fiscal é formado por 05 Conselheiros Fiscais Titulares. Também estão aptos ao preenchimento de 05 vagas no Conselho Deliberativo os Sócios Campeões maiores de 18 anos, em dia com suas mensalidades e que participem do programa no mínimo há 24 meses de forma ininterrupta, e esses Conselheiros serão eleitos exclusivamente pelos participantes do programa Sócio Campeão que votarão em local específico destinados exclusivamente a eles.

Pelo edital ficou determinado que o mandato dos novos Conselhos durarão até o dia 31 de março de 2022.

No dia 08 de março de 2019 o Juiz Maurício Simões de Almeida Botelho Silva da 10ª Vara Cível de Campinas concedeu uma decisão liminar favorável ao associado Felipe Ramos Roselli reconhecendo erros e vícios no processo eleitoral, especificamente descumprindo o Artigo 104 que determina que a comissão eleitoral somente pode iniciar seus trabalhos após a publicação do edital de convocação para as eleições. Na ocasião o edital foi publicado no dia 16 de janeiro e a primeira reunião da comissão eleitoral aconteceu na véspera, 15 de janeiro, quando foram determinados os atos e cronograma de regulamentação do processo eleitoral.

Marcos Ortiz

Continue Lendo

Jogos e Resultados

Técnico inventa, defesa e ataque são incompetentes e Bugre perde mais uma fora de casa

Publicado

em

Por

Depois do empate com o Paraná no último sábado o Bugre voltou a campo nesta terça feira para a segunda partida desta mini excursão pela região Sul do país buscando sua primeira vitória como visitante na Série B do Brasileiro.

O técnico Vinícius Eutrópio poderia ter repetido a escalação das duas partidas anteriores, mas não resistiu à tentação de improvisar e o fez na lateral sacando Inácio, jogador da posição para a entrada de Diego Giaretta, zagueiro, improvisado no setor. Mas não parou por ai, Eutrópio também resolveu sacar Lenon e escalou Léo Príncipe, além do jovem Mateusinho para a entrada de Deivid Souza e o time começou a partida com Giovanni; Léo Príncipe, Ferreira, Xandão e Diego Giaretta; Deivid, Ricardinho, Arthur Rezende e Éder Luís; Deivid Souza e Diego Cardoso.

O desafio era enfrentar uma das piores equipes deste início de Série B dentro dos seus domínios, se vencesse, o Bugre chegaria à mesma pontuação do quarto colocado até o complemento da quinta rodada, se perdesse, o Criciúma alcançaria a pontuação do Guarani, e assim foi a partida:

Dentro de campo

E nos primeiros minutos o time não conseguiu mostrar absolutamente nada, o Criciúma mandava no jogo diante de um Guarani que mal conseguia passar do meio de campo, parecia jogo de um time só e infelizmente não era o Guarani, mas o futebol é um esporte que não respeita a lógica e o primeiro chute a gol foi do Guarani na primeira vez que conseguiu chegar ao ataque. Aos 08 minutos Arthur Rezende pegou um rebote na entrada da grande área pela esquerda e bateu pro gol, no canto direito de Paulo Gianezini que caiu e fez boa defesa, sem rebotes.

Léo Gamalho tem liberdade e chuta de fora da área no ângulo de Giovanni – Imagem: Reprodução – SporTV.

Mostrando os mesmos problemas das rodadas anteriores, o Guarani sofreu o primeiro gol logo em seguida, aos 11 minutos Leo Gamalho recebeu a bola na intermediária, conseguiu avançar sem nenhuma marcação, soltou uma bomba de fora da área e a bola entrou no canto esquerdo de Giovanni, detalhe, no lance o volante Deivid parecia estar um quilômetro atrás do atacante e sequer conseguiu esticar a perna pra tentar evitar o arremate. Com um Guarani medroso em campo e um Criciúma que entrou pra tentar vencer jogando em casa, abriu o placar quem começou jogando futebol, Criciúma 1×0 Guarani.

Perdendo o jogo, finalmente o Guarani lembrou que tinha que atacar e até conseguiu equilibrar o jogo, nada que pudesse justificar uma reação no placar, apenas um time que lembrou que haviam dois campos, o defensivo e o ofensivo, mas com um Léo Príncipe em péssima fase pela direita e um zagueiro improvisado na lateral esquerda, o time não tinha nenhum jogador de escape, restava atacar com Deivid Souza e Éder Luís, pouco pra produzir alguma preocupação ao time da casa que continuava criando as melhores chances da partida.

Marcos Vinícius recebe cruzamento com o gol aberto e toca pra fora perdendo gol feito. Imagem: Reprodução – SporTV.

Aos 27 minutos o Criciúma perdeu um gol inacreditável, contra ataque rápido pela direita, Diego Giaretta chegou atrasado pra marcação e Vinícius conseguiu cruzar, a bola ainda bateu no lateral improvisado e passou pela zaga do Guarani até que Marcos Vinícius chegou no segundo pau, com o gol aberto pra tocar, mas pra sorte do Bugre ele se atrapalhou todo e tocou a bola pra fora, longe do gol de Giovanni.

O problema da marcação do Guarani era crônico, aos 29 minutos a jogada praticamente de repetiu, desta vez do lado esquerdo, direito da defesa Bugrina. Marlon recebeu a bola e cruzou pra grande área, a bola atravessou toda a área e sobrou pra Marcos Vinícius dentro da grande área pela esquerda ele bateu cruzado e outra vez pra sorte do Bugre ninguém do Criciúma apareceu pra desviar e marcar o segundo gol. As mudanças de Vinícius Eutrópio conseguiram fazer o que parecia ser impossível pioraram muito o sistema defensivo Bugrino que já não era essas coisas.

Se com a bola rolando a coisa não acontecia, restavam as bolas paradas e aos 43 minutos Arthur Rezende cobrou uma falta pela esquerda e cruzou a bola pra grande área, a defesa do Criciúma tentou cortar,mas acabou deixando a bola com Éder Luís, dentro da grande área ele tentou um voleio, errou a bola que ainda desviou na zaga e saiu para escanteio.

Aos 46 minutos Arthur Rezende cometeu uma falta desnecessária na lateral pelo lado esquerdo e recebeu cartão amarelo. Um time absolutamente divorciado nos seus três setores, foi isso o Guarani na primeira etapa, defesa perdida, meio de campo que não encostava pra ajudar na marcação e um ataque improdutivo, incapaz de fazer cócegas ao Criciúma. Pelo que produziu, ou melhor, não produziu, o placar de 1×0 ficou pequeno.

Restava torcer para que Vinícius Eutrópio consertasse um pouco da salada que levou a campo na volta do intervalo, mas ele voltou com o mesmo time, sem nenhuma mudança.

A sorte do Guarani poderia mudar logo aos 30 segundos de jogo quando Derlan cometeu uma falta violenta em Deivid e recebeu o segundo cartão amarelo, depois o vermelho, deixando o time da casa com um homem a menos.

Diego Cardoso arrisca de fora da área e a bola saiu raspando a trave. Imagem: Reprodução – SporTV.

Aos 04 minutos o Bugre chegou pela primeira vez com chance de marcar, Diego Cardoso recebeu a bola de Deivid Souza pela esquerda na entrada da grande área e bateu rasteiro buscando o canto direito do goleiro, a bola saiu raspando a trave, pela linha de fundo. Com um jogador a mais era hora de sair pro ataque e tentar reverter o placar, mas o técnico Vinícius Eutrópio tirou a noite pra contrariar a lógica, aos 09 minutos ele fez duas alterações, tirou o volante Deivid pra entrada de Mateusinho, mas lá na frente inexplicavelmente ele sacou um dos atacantes, Deivid Souza, e colocou o meia Rondinelly no seu lugar.

Com Rondinelly em campo o Guarani, nos primeiros minutos, era um incontável número de cruzamentos mal feitos pra grande área sempre pelo camisa 16 do Bugre e ofensivamente o time nada produzia. Realmente uma noite lastimável nas escolhas de Eutrópio que incorporou o espírito do Professor Pardal no banco de reservas do Guarani.

Se mesmo com um jogador a mais o Guarani não era capaz de levar perigo, na bola parada o Criciúma quase chegou ao segundo. Aos 19 minutos escanteio cobrado pela direita, a zaga do Guarani, como em todas as quatro partidas até agora, mais uma vez marcou a bola e deixou Léo Santos subir pra cabecear à queima roupa, na linha da pequena área e Giovanni voou pra bola fazendo uma grande defesa e espalmando a bola por cima do travessão.

Goleiro defende chute forte de Arthur Rezende. Imagem: Reprodução – SporTV.

Aos 20 minutos Rondinelly levou uma joelhada nas costas fora do lance da bola e não conseguiu continuar em campo, aos 22 Felipe Amorim entrou em seu lugar, a terceira e última mudança do Bugre em Criciúma. Aos 24 minutos Ricardinho recebeu a bola no mesmo lugar que Léo Gamalho no lance do gol do Criciúma, dominou também com liberdade e chutou forte, rasteiro, buscando o canto esquerdo do goleiro, mas a bola saiu raspando a trave, pela linha de fundo. No lance seguinte o Bugre teve duas chances no mesmo lance, primeiro num chute de fora da área que reboteado sobrou para Arthur Rezende na entrada da grande área, ele bateu forte, o goleiro  conseguiu fazer a defesa, mas deu rebote e a bola sobraria para Felipe Amorim de frente pro gol, mas o auxiliar, equivocadamente, marcou impedimento.

Aos 37 minutos o Bugre perdeu uma grande oportunidade, Éder Luís recebeu lançamento dentro da grande área pela direita e saiu cara a cara com o goleiro em velocidade, era bater pro gol e correr pro abraço, mas ele isolou e chutou por cima do gol.

Aos 39 minutos outro gol feito perdido. Felipe Amorim entrou como quis na grande área do Criciúma, passou por dois marcadores e rolou perfeita para Éder Luís, ele chegou batendo de primeira, chutou forte, o goleiro fez grande defesa, mas deu rebote nos pés de Mateusinho pela direita ele tentou colocar a bola cruzada no outro canto, mas pegou mal e jogou pra fora do gol. Inaceitável perder um gol desses.

A vantagem numérica do Bugre foi pro espaço aos 41 minutos quando o árbitro marcou uma falta de Mateusinho e pra compensar a expulsão no reinício do jogo, aplicou o segundo cartão amarelo ao Bugrino. Pronto, as duas equipes estavam com 10 jogadores em campo.

O Guarani ainda tentou chegar ao menos ao empate nos minutos finais, mas pagou o preço das invenções do seu treinador e foi incompetente nas finalizações perdendo chances claras de gol e deixou o campo com mais uma derrota, a segunda como visitante nos três jogos que o time disputou fora de casa.

Todo o avanço tático, técnico e esboço de evolução que a equipe começava a demonstrar neste início de competição caiu por terra muito por conta das invenções feitas por Vinícius Eutrópio na escalação e nas mudanças feitas durante a partida e dentro de campo o time foi incompetente na defesa e no ataque, mostrando os mesmos erros cometidos em todos os outros jogos disputados .

Assim não dá! Final de jogo e o Guarani já reabilita o primeiro adversário na Série B, Criciúma 1×0 Guarani.

Agora a equipe volta a campo daqui uma semana contra outro adversário que vem na parte de baixo da tabela, o Brasil de Pelotas que neste momento é o lanterna da Série B. Dizem que técnico não ganha jogo, mas uma coisa é fato, ajuda a perder.

 

Marcos Ortiz

Continue Lendo
Advertisement
Advertisement

Assista o Papo de Bugrino 5 – Criciúma x Guarani


	
	
	

Clique para ativar o som

Próxima Partida – 28/05 21:30

Brasileiro - Série B

Guarani FC X Brasil de Pelotas-RS

Estádio Brinco de Ouro da Princesa
Campeonato Brasileiro - Série B

+ Recentes

Copyright © Planeta Guarani - Todos os Direitos Reservados - Permitida Divulgação Apenas com Preservação da Fonte - Desenvolvido por: OZ Sites.