Siga-nos

Jogos e Resultados

Guarani 1×0 Operário – Vitória, alívio e… TUDO NORMAL EM CAMPINAS!

Publicado

em

Diego Cardoso marca de pênalti e carimba permanência do Bugre na Série B - Imagem: Reprodução - Premiere FC.

Era nervosismo pudo o ambiente pré jogo entre Guarani x Operário, não pelo Operário que já estava encaminhado e não brigava por mais nada na competição, mas pelos lados do Guarani a aflição marcava o semblante dos Torcedores no Brinco. Uma vitória, se não matematicamente, mas virtualmente, eliminava os riscos de rebaixamento do time, já uma derrota traria de volta o fantasma que assolou a equipe durante praticamente um turno inteiro da competição, a proximidade da zona do rebaixamento.

E desta vez, no time que iniciou a partida, o técnico Thiago Carpini não fez nenhuma experiência, levou a campo um time equilibrado, pronto para atacar e se defender, iniciando a partida com Jefferson Paulino; Lenon, Bruno Silva, Luiz Gustavo e Thallyson; Marcelo, Arthur Rezende, Lucas Crispim e Rondinelly; Davó e Diego Cardoso.

E o nervosismo esteve presente nos minutos iniciais da partida, dentro de campo um time até bem postado em termos ofensivos, mas errando no sistema defensivo e por pouco o Bugre não saiu na frente do placar. Aos 05 minutos a defesa bateu cabeça pelo lado esquerdo com Luiz Gustavo e Thallyson que não conseguiram cortar a bola por duas vezes seguidas, resultado, bola lançada novamente nas costas de Luiz Gustavo dentro da grande área pela esquerda e Índio apareceu livre de marcação, cara a cara com Jefferson paulino, mas o goleiro Bugrino se jogou na bola e com o pé direito conseguiu fazer a defesa, evitando o gol do Operário.

Susto isolado? Que nada, no lance seguinte o cruzamento veio da direita, Thallyson subiu e não alcançou a bola que sobrou limpa para Rafael Chorão dominar dentro da grande área, ele estava praticamente na marca do pênalti e bateu forte, com liberdade, dessa vez, pra sorte do Bugre a bola saiu por cima do travessão, era um gol feito.

Imagem: Reprodução – Premiere FC.

O nervosismo do time dentro de campo era visível, aos 08 minutos Lenon recebeu cartão amarelo, mas o time conseguiu no mesmo instante chegar pela primeira vez e desta vez foi o Bugre quem perdeu um gol feito. Diego Cardoso recebeu lançamento na esquerda, teve liberdade, invadiu a grande área e cara a cara cm o goleiro bateu chapado, de pé esquerdo, mas acabou pegando mal na bola que saiu cruzada, á esquerda do goleiro, levando muito perigo.

Imagem: Reprodução – Premiere FC.

Lá e cá. Aos 10 minutos Luiz Gustavo falhou na saída de bola e a bola ficou limpa pra Marcelo que da entrada da grande área bateu firme pro gol, Jefferson Paulino salvou novamente o Guarani com uma grande. Aos 11 minutos foi Arthur Rezende quem perdeu para o Bugre, Lenon recebeu pela direita e acertou um belo cruzamento no segundo pau onde o meia Bugrino apareceu livre de marcação, no meio da defesa e, cara a cara com o goleiro, bateu de primeira, a bola ainda quicou, mas o goleiro no reflexo conseguiu espalmar e evitar o gol do Guarani. Um gol daqueles que não podem ser perdidos.

Imagem: Reprodução – Premiere FC.

A partir dessas duas jogadas o Guarani conseguiu se equilibrar e passou a dominar a partida e fi levando perigo em novas jogadas ofensivas. Aos 25 minutos outra vez um gol perdido, desta vez com o zagueiro tirando a bola em cima da linha. Cobrança de escanteio de Rondinelly pela direita, Luiz Gustavo subiu mais alto que a defesa e cabeceou forte, pro gol, o goleiro Rodrigo Viana estava vencido, mas Jardel, em cima da linha, conseguiu fazer o corte e afastar o perigo.

O goleiro do Operário precisou ser substituído aos 30 minutos do primeiro tempo, entrou André Luiz e pouco depois o Bugre abriu o placar. Marcelo meteu um lançamento perfeito para Rondinelly, ele invadiu a grande área pela esquerda e quando ia passar pelo goleiro foi derrubado, o árbitro não tinha outra coisa a fazer senão marcar a penalidade para o Guarani.

Imagem: Reprodução – Premiere FC.

Depois de muita reclamação dos paranaenses e até de algum desentendimento entre os jogadores do Guarani para decidirem quem faria a cobrança, aos 33 minutos Diego Cardoso partiu pra cobrança e com muita tranquilidade jogou a bola no canto esquerdo de André Luiz, sem nenhuma chance de defesa para o goleiro que até acertou o canto, mas não alcançaria a bola. Uma linda cobrança de Diego Cardoso que marcou seu 11º gol pelo Bugre na temporada se isolando ainda mais na artilharia da equipe, terceiro gol dele nos quatro últimos jogos, segundo cobrando pênalti, Guarani 1×0 Operário. UFA!!!

Imagem: Reprodução – Premiere FC.

E desta vez, mesmo com o placar a seu favor, o Bugre passou a tentar decidir o jogo, buscando o campo de ataque e a marcação do segundo gol que traria mais tranquilidade à equipe. Por pouco ele não veio aos 37 minutos, outra vez em uma cobrança de escanteio. Thallyson bateu da direita e Luiz Gustavo subiu firme outra vez para outra cabeçada certeira, desta vez no primeiro pau, mas o goleiro André Luiz fez uma grande defesa, um verdadeiro milagre, evitando o segundo do Bugre novamente.

Ainda na primeira etapa, aos 38 minutos o volante Marcelo cometeu falta e recebeu o cartão amarelo, aos 40 minutos foi o Operário quem ameaçou num cruzamento para a grande área, a defesa Bugrina não marcou e Felipe Augusto tentou desviar a bola na pequena área, mas não alcançou e ela saiu pela linha de fundo, assustando a Torcida Bugrina.

Metade do jogo já havia passado, restava ao Bugre a segunda parte para garantir a vitória e torcer para que os riscos de rebaixamento acabassem, o time voltou sem nenhuma mudança.

A segunda etapa começou diferente, o Guarani deu a posse de bola ao Operário que partiu pro campo de ataque criando jogadas ofensivas seguidas. Aos 14 minutos aconteceu o lance que dificultaria ainda mais as coisas para o Guarani quando o volante Marcelo, que fazia uma grande partida, cometeu uma falta em um rápido contra ataque dos paranaenses, quase na linha da grande área. A falta foi dura e Marcelo recebeu o cartão vermelho direto, deixando o Guarani com um jogador a menos.

Imediatamente Carpini mudou a equipe, mas de forma equivocada tirou Davó de campo que fazia uma boa partida, sendo o homem de velocidade da equipe, colocando o volante Deivid em seu lugar. Não pela entrada de Deivid que entrou muito bem no jogo, fazendo aquilo que vinha fazendo até se lesionar, mas pela saída de Davó que tirou toda a velocidade do time e chamou o adversário ainda mais pra cima do Bugre.

Aos 18 minutos outra vez Jefferson Paulino  salvou o Guarani de tomar o empate. Mailson cobrou uma falta da entrada da grande área pelo lado esquerdo e meteu a bola certinha no canto baixo esquerdo do goleiro  Bugrino que caiu muito bem na bola e conseguiu desviar para escanteio.

Com um Guarani recuado e sem nenhuma jogada rápida, o Operário cresceu ainda mais em campo e aos 25 minutos Carpini fez sua segunda mudança, tirou Diego Cardoso para a entrada de Nando. Com essa alteração o Guarani praticamente deixava de existir em termos ofensivos, saiu o último jogador que poderia fazer o contra ataque e entrou em seu lugar outro atacante, mas muito pesado, que tem como característica prender a bola no campo ofensivo.

Aos 35 minutos o Operário levou perigo novamente, Marcelo chegou pelo lado direito e bateu cruzado, a bola saiu venenosa, atravessou toda a grande área e, pra sorte do Bugre, ninguém alcançou para desviar pro gol.  Mesmo com um time mais pesado em campo o Bugre teve a chance de definir a partida em um rápido contra ataque aos 42 minutos quando Thallyson recebeu a bola pela esquerda, avançou em velocidade, trouxe para a diagonal e, da entrada da grande área, bateu pro gol tentando o canto direito do goleiro, mas o chute saiu fraco demais e André Luiz fez fácil defesa.

Carpini ainda fez sua terceira mudança aos 43 minutos sacando Rondinelly e colocando Ricardinho em seu lugar tentando reforçar a marcação nomeio de campo onde Deivid aparecia sempre como jogador de destaque do time Bugrino. Aos 44 minutos foi a vez de Rondinelly receber cartão amarelo.

O árbitro deu cinco minutos de acréscimos para desespero da Torcida Bugrina, mas a essa altura o time já conseguia prender a bola no campo de ataque e estranhamente, o Operário tocava bola na intermediária ofensiva Bugrina fazendo o tempo passar, sem conseguir criar nada na frente.

O susto maior veio aos 49 minutos no último lance da partida quando a bola foi cruzada para Alysson, zagueiro que estava atuando como atacante durante boa parte da segunda etapa, se ele dominasse a bola teria todas as condições de empatar a partia,mas na hora H Bruno Silva apareceu e conseguiu afastar o perigo.

O alívio, desabafo, choro e comemoração dos jogadores e da Torcida nas arquibancadas veio aos 50 minutos quando o árbitro encerrou a partida. Vitória do Guarani na partida mais decisiva do ano, Guarani 1×0 Operário e com esse resultado era hora de torcer um pouquinho no confronto entre Londrina x Botafogo em Londrina.

O Botafogo abriu o placar, o Londrina chegou ao empate na segunda etapa, mas não conseguiu a virada e com esse resultado o Bugre está matematicamente garantido na Série B de 2020. Com 44 pontos a equipe ainda conseguiu subir três posições na classificação, ainda aguarda o jogo do Brasil de Pelotas que acontece apenas neste domingo para saber sua real posição, mas não pode ser alcançada na tabela pelo Londrina, primeiro time no Z4 da Série B.

Um resultado que deve ser comemorado como um acesos pela Torcida Bugrina, depois de terminar o primeiro turno virtualmente rebaixado com apenas 16 pontos ganhos, o Bugre conseguiu uma campanha de recuperação fantástica, levou sustos? sim, levou e muitos, errou e deixou resultados importantes escaparem, mas conseguiu voltar o foco e manteve o Bugre na Série B do Campeonato Brasileiro.

Pode comemorar Torcedor, e pode também agradecer muito ao grupo e ao bom trabalho de Thiago Carpini, o estreante treinador conseguiu segurar e motivar um grupo que parecia não ter mais nada a oferecer e com esse mesmo grupo chegou à 11ª posição, neste momento está restabelecida a verdade do futebol campineiro com o Bugre ultrapassando a outra equipe da cidade que vergonhosamente havia entregado o jogo para o Figueirense na rodada anterior, mas não soube fazer contas para perceber que com aquela derrota e a sequência de jogos que teria pela frente, ainda correria riscos de rebaixamento e só não permaneceu correndo riscos graças ao mesmo empate por 1×1 entre Londrina x Botafogo neste sábado.

Feliz ano novo, Torcida Bugrina. Ao menos a manutenção da equipe está conquistada. Agora é planejar 2020 e conseguir fazer finalmente um Guarani vitorioso, capaz de bem representar sua Torcida e as tradições do Único Campeão Brasileiro do Interior deste país.

Ufa, que alívio!!!

Marcos Ortiz

 

 

Advertisement
Advertisement

A volta da Capa do Gigante


	
	
	

Clique para ativar o som

Próxima Partida – 22/11 21:30

+ Recentes

Copyright © Planeta Guarani - Todos os Direitos Reservados - Permitida Divulgação Apenas com Preservação da Fonte - Desenvolvido por: OZ Sites.