Siga-nos

Entrevistas

Fonseca esconde o time, valoriza sua campanha e chama Diego Cardoso de importante no elenco

Publicado

em

O time? Só Deus sabe, acredito que nem o treinador... Foto: Letícia Martins - Guarani FC.

Em mais uma entrevista coletiva onde falou, falou e não falou quase nada, o técnico Roberto Fonseca despistou a imprensa e a Torcida sobre o que pretende levar a campo nesta sexta feira contra o Vila Nova no Brinco.

Você pode ouvir a entrevista no player abaixo.

Tendo de volta Igor Henrique, jogador que segundo ele, a ausência fez falta no dérbi, ele falou da importância do retorno, mesmo não confirmado a escalação do volante: “É sempre bom ter todos os jogadores à disposição, nós temos que trabalhar. Ninguém esconde anda de ninguém, mas todo mundo tem sua privacidade e quer preservar seu trabalho, de repente sempre cria uma incógnita pro adversário e nós também gostaríamos de ter sempre a escalação deles pra podermos montar nossa estratégia, anular algumas coisas deles, isso é uma coisa normal que a gente procura preservar pra poder usar no dia do jogo e sempre poder ser bem usado”, disse o treinador, explicando mais uma vez por que fecha os portões nos treinamentos e esconde a escalação até instantes antes do início da partida.

Fonseca falou sobre o momento que a equipe vive na competição e defendendo seu trabalho, disse que o time estaria no meio da tabela se o aproveitamento fosse o mesmo das partidas já sobre seu comando: “Nós sabemos que não é fácil olhar e ver que sempre estamos lá embaixo, mas se pegar o aproveitamento pós copa (América) nós estaríamos hoje numa zona intermediária, muitas equipes de capacidade estariam atrás de nós, teríamos oito pontos em sete jogos, um aproveitamento de quase 40%, teríamos a defesa menso vazada da competição. Claro que temos que melhorar nosso poderio de ataque, são coisas que a gente sabe, conseguimos melhorar em algumas, não foi o suficiente pra gente conseguir nosso objetivo agora de sair dessa zona incômoda”.

Informado sobre o Guarani estar na 12ª colocação contando apenas os jogos desde que assumiu, ele voltou a elogiar o trabalho: “Seria um posicionamento até bom, estaríamos numa briga muito próxima de classificação, mas sabemos que temos que melhorar no geral, não adianta só isso, tem todo o contexto”.

Na pergunta seguinte o treinador confirmou que passa a contar com jogadores que eram dados como “descartados” no elenco Bugrino, o nome mais falado foi de Diego Cardoso: “Pode ter certeza, eu acredito no que o treinador faz e pra qualquer treinador é cômodo chegar e pedir pra trazer esse ou aquele, tirar A ou B, isso é normal, agora recuperamos jogadores que estavam sem credibilidade em algum momento e eles foram bem, são jogadores que participaram de vitórias importantes como o Giaretta, ele foi importante, nos ajudou improvisado e esse tipo de atleta é importantíssimo. O Diego Cardoso faz parte também porque precisamos desse tipo de atleta, é um jogador que foi super útil no Paulistão”.

“Tem alguns momentos que tem que saber tirar também, aqueles mais questionados acabam sendo esquecidos e daqui a pouco volta numa situação diferente, eu acredito muito nisso, é uma das qualidades importantes que um treinador tem dentro de uma equipe de futebol”, finalizou.

O time? Só Deus sabe, acredito que nem o treinador…

 

Marcos Ortiz

Advertisement
Advertisement
Advertisement

A volta da Capa do Gigante


	
	
	

Clique para ativar o som

Próxima Partida – 16/11 16:30

+ Recentes

Copyright © Planeta Guarani - Todos os Direitos Reservados - Permitida Divulgação Apenas com Preservação da Fonte - Desenvolvido por: OZ Sites.