Siga-nos

Jogos e Resultados

É bizarro! Mesmo com um jogador a mais Guarani perde mais uma – Operário 1×0

Publicado

em

Imagem: Reprodução - Premiere FC.

Na Série B do Campeonato Brasileiro de 2019 o Guarani é 10! Sim, 10 vezes derrotado em 17 jogos disputados.

O time foi a Ponta Grossa no Paraná enfrentar o Operário e sua própria crise, vindo de duas derrotas consecutivas no dérbi e na rodada anterior para o Vila Nova em casa, o técnico Roberto Fonseca levou a campo o mesmo time, isso mesmo, o time que perdeu pro Vila Nova ganhou mais uma chance, e lógico, fez o mesmo, perdeu de novo.

Cara a cara com o goleiro Vitor Feijão perde gol a 1 minuto de jogo – Imagem: Reprodução – Premiere FC.

Mais uma vez jogando futebol apenas nos 15 primeiros minutos de jogo, o time até teve uma chance clara de abrir o placar logo a um minuto, mas Vitor Feijão perdeu o gol cara a cara com o goleiro, ele escorou uma bola que veio espirrada num erro de finalização do Guarani e, no meio da pequena área, cara a cara com André Luiz, conseguiu finalizar, mas o goleiro do Operário conseguiu desviar a bola pela linha de fundo, evitando o gol do Guarani. No lance o árbitro deu apenas tiro de meta.

E ai? Ah, ai foi mais do mesmo… depois dos 15 minutos o time arriou, perdeu o gás, a volúpia e a vontade de jogar, e não demorou muito, aos 19 minutos, na segunda vez que foi ao ataque, o Operário abriu o placar.

Em outro buraco na marcação dentro da grande área, Cleyton aparece e marca. Imagem: Reprodução – Premiere FC.

Lançamento longo do campo de defesa pelo lado esquerdo, Felipe Augusto recebeu a bola na intermediária e avançou sem nenhuma marcação, chegou à linha de fundo e cruzou para a grande área, havia um buraco (mais uma vez) na marcação do Guarani, Deivid mal posicionado ainda tentou cortar, mas Cleyton chegou dando um golpe de Muay Thay na bola e, de primeira, jogou no fundo do gol de Klever. Mais uma falha de marcação do Guarani, mais um gol sofrido e mais uma derrota na competição.

Sem nenhum poder de reação, o Guarani ainda escapou de levar mais gols, o técnico Roberto Fonseca mexeu três vezes na equipe já na volta do intervalo, mas a mexida foi daquelas de deixar o Torcedor Bugrino com o coração apertado, saiu Bady, que fazia uma má partida, para a entrada de Éder Luís, mais um jogador ressuscitado pelo treinador Bugrino.

E as chances de reversão aconteceram, principalmente quando aos 13 minutos o Bugre ficou com um jogador a mais em campo. Michel Douglas pressionou Lázaro na saída de bola, ganhou a bola e iria partir em direção ao gol, mas foi derrubado pelo zagueiro numa tesoura na entrada da grande área, Lázaro que já tinha cartão amarelo recebeu o segundo e em seguida o cartão vermelho. Na cobrança da falta Vitor Feijão pegou bem na bola, mas o goleiro André Luiz conseguiu desviar por cima do gol.

Ai, com um jogador a mais e precisando vencer o jogo, o treinador fez sua segunda alteração logo aos 15 minutos, sacou o volante Deivid e colocou o volante Igor Henrique em seu lugar, ou seja, mesmo sendo um jogador que sai mais pro jogo, a aposta de Fonseca pra virar o placar com um jogador a mais foi a saída de um volante pra entrada de outro volante. Não iria dar certo mesmo, e não deu, mesmo com um jogador a menos, foi o Operário quem por pouco não ampliou o placar.

Mailton arranca do campo de defesa com a bola e cara a cara com Kléver perde o gol duas vezes. Imagem: Reprodução – Premiere FC.

A principal chance foi aos 27 minutos, Mailton recebeu a bola no seu campo defensivo, avançou em velocidade, ganhou na corrida da marcação e já dentro da grande área, pela direita, bateu cruzado, tirando a bola de Klever, mas a bola explodiu no pé da trave direita, ele ainda conseguiu pegar o rebote e dentro da pequena área bateu forte, desta vez foi Kléver quem conseguiu fazer a defesa jogando a bola pela linha de fundo.

Vendo seu time mesmo com um jogador a mais não conseguir criar nada em termos ofensivos, Roberto Fonseca fez sua terceira mudança aos 28 minutos, saiu Vitor Feijão, péssimo em campo, pra entrada de Marquinhos, estreante da noite e que também só estreou, não fez nada mais que isso nos 21 minutos que esteve em campo.

Absurdamente, desde os 13 minutos, momento em que ficou com um jogador a mais em campo, o Guarani não conseguiu criar uma única jogada ofensiva que possibilitasse sequer uma chance de gol, era só chutão pra frente, chute de fora da área completamente torto e bola pro alto tentando que alguém falhasse para que a chance aparecesse.

Não apareceu e o Bugre perdeu mais uma. Esta foi a 11ª partida em 17 jogos disputados que o Guarani sai de campo sem marcar gols, esta foi a 10ª derrota da equipe em 17 jogos, esta foi, para muitos, a gota d’água que aniquilou o último fio de esperança em uma recuperação na tabela de classificação da Série B.

Final de jogo em Ponta Grossa, Operário 1×0 Guarani, cheio de jogadores omissos em campo, se escondendo atrás da marcação e sem nenhuma vontade de mudar o resultado, o Guarani parece um time acostumado a perder. A derrota não é sentida pelos jogadores dentro de campo, entra jogador, sai jogador e a coisa não muda, o time não demonstra sangue nas veias, não consegue mudar um resultado, mudar a postura ou mudar o rumo das coisas.

Nesta partida Roberto Fonseca perdeu o volante Ricardinho e o zagueiro Luiz Gustavo, ambos receberam o terceiro cartão amarelo e não jogam contra o América no próximo domingo às 11:00 da manhã em Belo Horizonte.

Até quando vai? Até quando nada mudar no Guarani… A escalação teve Kléver; Bruno Souza, Ferreira, Luiz Gustavo e Thallyson; Deivid (Igor Henrique), Ricardinho, Davó e Bady (Éder Luís); Vitor Feijão e Michel Douglas.

Marcos Ortiz

Advertisement
Advertisement
Advertisement

A volta da Capa do Gigante


	
	
	

Clique para ativar o som

Próxima Partida – 16/11 16:30

+ Recentes

Copyright © Planeta Guarani - Todos os Direitos Reservados - Permitida Divulgação Apenas com Preservação da Fonte - Desenvolvido por: OZ Sites.