Siga-nos

Entrevistas

Confira a entrevista do melhor treinador do Guarani na temporada, Thiago Carpini

Publicado

em

Foto: Toninho Correa - Planeta Guarani.

Ele foi corajoso! Teve coragem pra mudar o time titular, e também pra mudar as alterações no decorrer da partida mostrando visão de jogo e tentando,ao menos tentando, armar o time pro contra ataque e em busca do segundo gol que definiria a partida.

Na sua segunda partida como interino, Thiago Carpini conquistou a primeira vitória, parece pouco pra comemorar, mas acrescente a isso o fato de ele ter assumido uma equipe que já teve dois treinadores e havia vencido apenas três jogos em todo o primeiro turno. Após a partida acompanhamos a entrevista coletiva do técnico interino Bugrino que você pode ouvir no player abaixo.

“Antes de tudo quero enaltecer todo o trabalho do grupo, o que eles fizeram hoje, a luta a entrega e a competitividade eles nunca deixaram de fazer, mas a gente sabe queno futebol quando o momento é ruim as coisas tendem dar errado. Acreditamos que a partir de hoje será uma retomada, a sorte virou um pouquinho, conseguimos fazer um bom jogo e competir, saímos com os 03 pontos que pra nós hoje era o mais importante de tudo”.

“Essa vitória representa um recomeço porque no sábado a gente começa o returno, fechamos o primeiro turno com uma vitória extremamente importante, apenas de a gente vir numa sequência de resultados ruins a última impressão é a eque fica. Deixamos pra trás tudo o que passou, vamos comemorar essa vitória de hoje, mas a partir de amanhã começa a recuperação e pensar no Figueirense, temos que ver o que temos de problemas e opções, é um novo ciclo, uma nova história, o mais importante é que eles compraram essa ideia, ”, disse Carpini, que seguiu elogiando:

“Hoje foi o nível de corte, a gente não pode aceitar menos do que foi hoje”.

Em seguida ele analisou um pouco da partida: “É Série B e Série B é luta, é guerra. A qualidade técnica e individual dos nossos atletas só vão se sobressair a partir do momento em que igualarmos o nível de competitividade e isso aconteceu hoje. Se eu puder escolher até nós sairmos dessa situação não jogar tão bem, não ter a posse de bola, mas ter o resultado, eu prefiro. Na semana passada fomos questionados por isso, tivemos 58% de posse de bola em relação ao América, fizemos um jogo melhor, controlamos o jogo até o final e perdemos, eu prefiro que seja assim até as coisas entrarem no trilho, em algum momento nós vamos conseguir equilibrar um bom jogo e o resultado, que é o mais importante”.

Em seguida a pergunta foi sobre uma possível manutenção no cargo, e ele se disse preparado apenas se a diretoria achar que é o caminho: “Agradeço a maneira que a Torcida e as pessoas me abraçaram, mas o mais importante é como o grupo respondeu ao que eu penso, acho que ainda é recente, acabei de tirar a chuteira e entendo o que o atleta passa, falar e fora é fácil, a gente sabe o quanto é difícil estar lá dentro, quem está de fora nunca erra, falar depois que acontece é muito simples. Eu procuro tentar passar pra eles o máximo de tranquilidade e me sinto preparado a partir do momento que a diretoria achar que isso é o melhor para o Guarani, eu preciso que o Guarani saia dessa situação, é isso que todos queremos. O que me dá segurança não é nem a minha rodagem que na área de trenador não é tão grande, a segurança vem do respaldo que eu tenho desses caras, eles são homens pra caramba”, disse Carpini, se referindo aos jogadores.

Na última resposta ele abordou o fator emocional do time e a ausência de Ricardinho que foi apenas opção no banco pela primeira vez desde sua chegada ao Guarani em 2018:

“No emocional a gente procurou apenas passar tranquilidade e coragem, qualidade tem no grupo, é um grupo bastante trabalhador e não vou cansar de enaltecer isso. Já em relação ao Ricardo ele continua sendo uma referência, continua sendo o capitão, nada vai mudar. Em momentos ele vai voltar, vai jogar, vai ajudar e contribuir, mas neste momento a gente entendeu que era importante que, vendo uma evolução a partir do jogo contra o América, a manutenção da equipe, não seria justo cm o Deivid que fez um grande papel noque eu pedi pra ele,e tirá-lo. Tive o cuidado de conversar com o Ricardo por tudo o que ele representa pro grupo e pro Guarani, ele entendeu e esse é o grande passo, entender que o contexto maior é o clube, são os resultados, sem olhar o individual e sem vaidade, isso esse grupo tem muito”, concluiu Carpini.

Mais uma vez muito centrado, sem respostas espetaculosas e colocando o Guarani e o resultado acima de todas as coisas. Surpreendente o trabalho e as convicções de Thiago Carpini e eu começo aqui a campanha “Carpini pra treinador na Série B de 2020”. Neste momento sua liderança diante do grupo vai ser fundamental pro trabalho de quem quer que seja o treinador escolhido para a sequência da competição, e tudo indica seja Renê Simões.

Já se não for, vai antecipar um pouco seu momento, mas se tiver que ser, que seja. Visão de jogo e espírito de liderança ele mostrou que tem pra isso.

Marcos Ortiz

Advertisement
Advertisement
Advertisement

A volta da Capa do Gigante


	
	
	

Clique para ativar o som

Próxima Partida – 16/11 16:30

Brasileiro - Série B

Guarani FC X Operário-PR

Campeonato Brasileiro - Série B

+ Recentes

Copyright © Planeta Guarani - Todos os Direitos Reservados - Permitida Divulgação Apenas com Preservação da Fonte - Desenvolvido por: OZ Sites.