Siga-nos

Jogos e Resultados

Com atuação segura, Guarani vence o Botafogo no Brinco – Gols de Tiago Ribeiro e Diego Cardoso

Publicado

em

Thiago Ribeiro comemora o primeiro do Bugre, seu segundo pelo Guarani. Foto: Marcos Ortiz - Planeta Guarani.

Foi o melhor jogo do Guarani até aqui no Paulistão. O Bugre recebeu o Botafogo pela sexta rodada, no Brinco de Ouro da Princesa, fez a lição de casa, venceu por 2×0 depois de um primeiro tempo apertado, com o goleiro Giovanni defendendo uma penalidade e o gramado seco. Depois, na segunda etapa, debaixo de muita chuva, o Bugre conseguiu se manter bem posicionado, teve muitas chances de ampliar o placar e conseguiu chegar aos 2×0.

Minuto de silêncio pelas vítimas do incêndio no CT do Flamengo-RJ. Foto: Marcos Ortiz – Planeta Guarani.

O técnico Osmar Loss foi além das mudanças esperadas, sacou também o meia/atacante Lucas Crispim para a entrada de Álvaro, atracante recém contratado entre os titulares. O time iniciou a partida com Giovanni; Léo Príncipe, Ferreira, Victor Ramos e William Matheus; Deivid, Ricardinho, Thiago Ribeiro e Álvaro; Fernando Vieira.

Dentro de campo

Logo aos 03 minutos o Bugre poderia ter aberto o placar, Léo Príncipe recebeu lançamento na direita, dominou e fez boa inversão de bola pra Thiago Ribeiro, o meia Bugrino ajeitou o corpo e bateu cruzado, buscando o canto esquerdo do goleiro, mas pegou mal na bola e ela saiu pela linha de fundo.

O Bugre tinha mais domínio, mas o Botafogo era perigoso, aos 11 minutos Victor Ramos evitou o gol do adversário depois de uma troca de passes entre Pará e Felipe Saraiva que chegou batendo pro gol, mas o zagueiro Bugrino apareceu bem pra afastar o perigo. Na sequência do lance a bola foi levantada pra grande área, a defesa Bugrina afastou e Pará pegou o rebote, levando perigo, mas jogando pra fora.

Torcida presente ao Tobogã na primeira etapa. Foto: Marcos Ortiz – Planeta Guarani.

O troco do Bugre veio aos 20 minutos, boa troca de passes e William Matheus tocou boa bola pra Thiago Ribeiro, o meia Bugrino outra vez como elemento surpresa e bateu forte, mas a bola saiu por cima do gol, com perigo. Com o Bugre melhor postado em campo e o Botafogo jogando com velocidade nos contra ataques, aos 30 minutos a história do jogo poderia ser diferente quando Pimentinha entrou na grande área depois de uma troca de passes pela direita e foi derrubado por Deivid, o árbitro marcou pênalti.

Aos 31 minutos o atacante Bruno Moraes partiu pra cobrança e Givanni caiu bem no seu canto direito fazendo a defesa e espalmando a bola que a defesa afastou em seguida.

O lance acendeu a Torcida Bugrina e o time dentro de campo chegou muito perto de abrir o placar aos 33 minutos com Fernando Viana que ficou com a bola dentro da grande área depois de um bate rebate e bateu bem, cruzado e rasteiro, mas o goleiro Rodrigo Viana caiu bem e defendeu, dando rebote que a defesa afastou.

Depois de tanto tentar o Bugre finalmente abriu o placar. Aos 40 minutos a jogada começou numa bola recuperada no meio de campo que chegou até Ricardinho na meia, o volante Bugrino deu um lindo passe para Fernando Vieira que passou pela direita na grande área, ele viu a passagem de Thiago Ribeiro no segundo pau e bateu cruzado, o meia Bugrino chegou bem, livre de marcação e tocou pro fundo do gol. Gol do Bugre, gol de Thiago Ribeiro, seu segundo gol no Paulistão, e o Bugre sai na frente pra festa no Brinco, Guarani 1×0 Botafogo.

Thiago Ribeiro comemora o primeiro do Bugre, seu segundo pelo Guarani. Foto: Marcos Ortiz – Planeta Guarani.

Ganhando o jogo o segundo gol poderia ter saído ainda no primeiro tempo, aos 43 minutos quando Diego Cardoso recebeu passe dentro da grande área pela direita, e mesmo marcado conseguiu bater forte tentando o canto esquerdo do goleiro, a bola saiu pela linha de fundo e apesar da reclamação do atacante Bugrino o árbitro deu tiro de meta.

Depois de um bom primeiro tempo, o técnico Osmar Loss voltou pra segunda etapa sem nenhuma alteração, o que mudou foi o estado do gramado que já estava pesado depois de todo o intervalo sob chuva e o Bugre levou um susto logo no comecinho.

Na segunda etapa Torcida pôde se deslocar á parte coberta devido à chuva. Foto: Marcos Ortiz – Planeta Guarani.

Ainda no primeiro minuto a bola foi cruzada da direita e atravessou toda a grande área do Guarani, Bruno Moraes chegou cabeceando no segundo pau e, numa falha geral do sistema defensivo a bola atravessou toda a pequena área e Diones chegou cabeceando quase dentro do gol, mas pra sorte do Guarani a bola acertou a trave. Ufa.

Depois do susto o Guarani conseguiu se reorganizar em campo e passou a buscar novamente o ataque, quase sempre com Thiago Ribeiro que teve sua melhor atuação com a camisa Bugrina levando perigo à defesa adversária, mas o Botafogo não estava morto em campo e aos 10 minutos Felipe saraiva recebeu a bola no bico direito da grande área e, de pé direito bateu pro gol, o goleiro Giovanni, bem posicionado, fez a defesa em dois tempos.

O troco do Guarani poderia ter sido fatal, na saída de bola Thiago Ribeiro recebeu passe longo dentro da grande área, ganhou na velocidade da marcação pelo lado esquerdo e bateu forte, cara a cara com o goleiro, mas a bola subiu e saiu por cima do travessão,. Quase o segundo do Bugre.

Apesar do gramado pesado o jogo era bom, aos 15 minutos Bruno Morares ganhou da marcação do Guarani e bateu forte, outra vez Giovanni bem posicionado fez boa defesa e evitou o gol de empate.

Aos 17 minutos Álvaro foi substituído por Lucas Crispim. O Bugre até então jogava com muita velocidade, se expunha, mas buscava o segundo gol.

O Botafogo levou perigo outra vez aos 20 minutos, depois de cobrança de escanteio pela direita Ednei subiu mais alto que toda a defesa Bugrina e cabeceou livre de marcação, por cima do gol, levando muito perigo. Neste momento o Botafogo estava melhor em campo.

tentando reequilibrar o time, Osmar Loss fez sua segunda alteração aos 26 minutos, saiu Deivid, outro estreante da noite, pra entrada de Fabrício Costa e aos 29 minutos outra vez faltou pouco pro segundo do Bugre. Lucas Crispim recebeu passe de William Matheus no bico esquerdo da grande área, ajeitou o corpo e bateu colocado buscando o canto esquerdo de Rodrigo Viana que de ponta de dedos conseguiu desviar a bola e evitar o gol, ela ainda sobrou pra Thiago Ribeiro na direita, o meia tentou o cruzamento pra grande área, mas o goleiro conseguiu fazer a defesa e ficar com a bola dominada.

Aos 34 minutos outra vez Thiago Ribeiro, agora pelo lado esquerdo ele ficou com a bola, ajeitou e bateu de fora da área, o goleiro, bem colocado, conseguiu boa defesa.. O troco do Botafogo veio pouco depois e foi muito perigoso. Falta cobrada rápida no meio de campo por Pará que tocou para Felipe Saraíva, ele entrou em velocidade pela esquerda e bateu forte, mas pra sorte do Bugre ela pela linha de fundo.

O jogo caminhava pra um final perigoso com o Botafogo se lançando e tentando o empate, mas aos 44 minutos o Bugre chegou ao segundo gol. Fabrício Costa pela esquerda viu bem a passagem de Diego Cardoso no meio da marcação, na entrada da grande área e fez um lindo passe, o atacante Bugrino chegou em velocidade entre a marcação, tirou a bola do goleiro com um toque para a esquerda e com o gol aberto teve muita frieza para tocar pro fundo do gol. Um lindo gol de Diego Cardoso, seu terceiro com a camisa Bugrina, artilheiro da equipe no Paulistão, Guarani 2×0 Botafogo, tranquilidade no placar e vitória assegurada no Brinco.

Diego Cardoso comemora o segundo do Bugre, seu terceiro gol pelo Guarani. Foto: Marcos Ortiz – Planeta Guarani.

O árbitro ainda levou o jogo até os 49 minutos, mas o placar não se alterou, vitória Bugrina, a terceira no Paulistão, primeira sobre uma equipe do interior.

Foi sem dúvida a melhor atuação da equipe até agora, a entrada de Victor Ramos fez muito bem à defesa e Thiago Ribeiro está adquirindo forma física e ritmo de jogo. Além disso, a boa entrada de Deivid no meio de campo, mais uma atuação precisa de Ricardinho e outra boa atuação de Fernando Viana, coroadas por uma excelente partida de Diego Cardoso e do goleiro Giovanni, um dos responsáveis diretos pela vitória defendendo além do pênalti, ao menos duas bolas perigosas.

Bom jogo, boa vitória e o Bugre mantem-se na terceira colocação do Grupo B com 10 pontos ganhos, atrás do Novorizontino que por enquanto lidera o grupo com 11 pontos e empatado com o Palmeiras que encerra a rodada na noite de amanhã contra o Bragantino, no Alianz Arena.

O Bugre pode até assumir a segunda colocação se o Palmeiras perder o jogo e não fizer três gols, com esta combinação o Guarani ultrapassa o Palmeiras no número de gols marcados que neste momento é de 8×5 pro Bugre.

Agora o time vira a chave pro jogo da primeira fase da Copa do Brasil, na próxima quarta feira o Guarani vai a Santa Cruz do Sul enfrentar o Avenida no estádio dos Eucaliptos, a partida acontecerá às 20:30, com o Bugre tendo a vantagem do empate. Se avançar, o Guarani enfrentará o Corinthians na segunda fase em jogo que acontecerá na Arena Corinthians.

Já pelo Paulistão o próximo jogo será um grade desafio, na segunda feira (18/02) o Bugre enfrentará o Santos no Pacaembu pela 7ª rodada do Paulistão.

Valeu Bugrão, boa e importante vitória!!!

 

Marcos Ortiz

Advertisement

Jogos e Resultados

No Pacaembu Guarani perde por 3×0 pro Santos e agora terá que ser 100% em casa

Publicado

em

Por

Era uma pedreira, o Bugre foi ao Pacaembu enfrentar o Santos, que tinha a melhor campanha do Paulistão até agora, liderando seu grupo e a classificação geral da competição, e o técnico Osmar Loss mais uma vez surpreendeu na escalação, desta vez, sem contar com o artilheiro Diego Cardoso o técnico Bugrino optou por Jefferson Nem no meio de campo e o Bugre entrou em campo com:

Giovanni; Léo Príncipe, Ferreira, Victor Ramos e William Matheus; Deivid, Ricardinho, Lucas Crispim, Jefferson Nem e Thiago Ribeiro; Fernando Viana. Detalhe para o banco de reservas que tem o retorno do meia Carlinhos e do atacante Anselmo Ramon.

Para o Bugre uma vitória significaria assumir a segunda colocação do Grupo B e encostar no Palmeiras, líder com 14 pontos ganhos.

Dentro de Campo

O Bugre começou bem nos minutos iniciais partindo pro ataque e tentando tomar a iniciativa do jogo, mas o que chamava atenção era a forte marcação sobre pressão na saída de bola do Santos no seu campo defensivo e as chegadas sempre usando as beiradas do campo, mas o primeiro chute a gol foi do adversário.

Aos 07 minutos depois de um erro de passe do Bugre na recuperação da bola, Alison recuperou, ajeitou e bateu de longe, rasteiro, a bola desviou em Ferreira e saiu raspando a  trave direita de Giovanni que estava na bola.

E logo no início do jogo Osmar Loss teve que queimar sua primeira alteração, aos 12 minutos William Matheus sentiu uma lesão na virilha esquerda e teve que ser substituído por Inácio que mesmo tendo sido titular em três partidas no Paulistão jogaria pela primeira vez na sua posição, a lateral esquerda.

Lucas Crispim sente o tendão e teve que ser imobilizado. Imagem: Reprodução – SporTV.

Neste momento o Santos já dominava a partida e chegava sempre levando perigo, também pelas laterais do campo e aos 13 minutos Lucas Crispim dominou sozinho uma bola no meio de campo e ao pisar o solo sentiu o tornozelo direito, muito provavelmente foi uma lesão no tendão, resultado, segunda alteração forçada do Bugre, aos 16 minutos Álvaro entrou em seu lugar. Duas mudanças queimadas em pouco mais de 15 minutos de jogo e pronto, toda a armação da equipe, além da estratégia para o decorrer do jogo com substituições estava comprometida.

O Bugre levou perigo pela primeira vez aos 25 minutos, Thiago Ribeiro recuperou a bola na meia pela direita, viu bem a passagem de Álvaro em velocidade e tocou boa bola em profundidade, o atacante avançou e do bico direito da grande área bateu forte pro gol, mas a bola desviou na marcação e saiu para escanteio. O desenho do jogo era simples, o Santos tinha toda a posse de bola e o Bugre tentava se recuperar das substituições forçadas e se armar para explorar os contra ataques.

Aos 27 minutos Giovanni salvou o primeiro gol santista. Cobrança de falta da meia, de longe, pela direita, a zaga fez a linha de impedimento e impedido Gustavo Henrique subiu sozinho e cabeceou já dentro da pequena área, bem colocado o goleiro Bugrino fez firme defesa. O árbitro e o auxiliar não marcaram o impedimento.

Impedido, Jean Mota cruza e o auxiliar paralisa a jogada. Imagem: Reprodução – SporTV.

Aos 33 minutos outra vez o Bugre levou perigo ao goleiro Vanderlei, Inácio apareceu no meio de campo, dominou a bola, fez boa jogada individual e bateu de longe, rasteiro, buscando o canto esquerdo do goleiro que bem posicionado caiu e fez a defesa. Pouco depois, aos 35 minutos o Santos até marcou, Jean Mota impedido recebeu passe pela esquerda e cruzou para Carlos Sánchez na pequena área que chegou batendo de primeira, mas o auxiliar já havia paralisado a jogada apontando o impedimento no começo da jogada.

Cueva chuta e Jean Mota aparece pra desviar pro gol. Santos 1×0 Guarani. Imagem: Reprodução – SporTV.

Na jogada seguinte não teve jeito, aos 37 minutos jogada pela direita e Victor Ferraz, Cueva apareceu livre na entrada da grande área e bateu pro gol, o chute saiu torto e Jean Mota, também sem marcação, desviou pro gol, sem nenhuma chance de defesa pra Giovanni. O Bugre que tentava segurar o Santos tomou o primeiro gol, Santos 1×0 Guarani.

Perdendo o jogo, o Bugre sentiu o gol e não conseguiu chegar ao ataque, já o santos acabou administrando os minutos finais e o primeiro tempo terminou com o placar parcial de 1×0 pro time da casa.

Ao técnico Osmar Loss restava apenas tentar reposicionar seu time em campo e ajustar os jogadores pra um possível contra ataque, já que ele havia queimado as duas primeiras alterações ainda no começo da partida, a torcida Bugrina era para que na segunda etapa o time conseguisse ameaçar e ao menos buscar o empate no Pacaembu. Não foi um mal primeiro tempo do Guarani, mas o time visivelmente sofreu com a pressão do Santos e o placar da primeira etapa foi justo.

Thiago ribeiro chuta e Vanderlei faz grande defesa evitando o gol do Bugre. Imagem: Reprodução – SporTV.

E o Bugre voltou tentando o empate, logo no primeiro minuto Thiago Ribeiro recebeu a bola na entrada da grande párea e bateu forte buscando o ângulo esquerdo de Vanderlei que mesmo adiantado conseguiu voar pra bola e fez grande defesa, jogando pra escanteio, mas o troco do Santos veio na mesma moeda no minuto seguinte, Carlos Sánchez recebeu a bola na direita e, de fora da área, bateu forte pro gol, a bola saiu cheia de efeito por cima do travessão de Giovanni, em tiro de meta.

Fernando Viana recebe lançamento de Ricardinho, passa pelo goleiro, mas perde o controle e sai com bola e tudo pela linha de fundo. Imagem: Reprodução – SporTV.

Aos 08 minutos Fernando Viana perdeu um gol feito, pela esquerda ele recebeu belo passe de Ricardinho por trás da marcação, driblou o goleiro Vanderlei que tentou sair pro abafa, mas perdeu o controle da bola e não conseguiu finalizar com o gol aberto à sua frente, saindo com bola e tudo pela linha de fundo. Era o empate do Bugre, não pode perder.

O Santos voltou a dominar a partida e exercer forte pressão na defesa do Guarani, aos 15 minutos depois de jogada individual pela esquerda a bola foi cruzada para a grande área, Derlis consegue dominar e girar, mas no chute a bola explode na marcação e Victor Ferraz pega o rebote sem marcação e bate forte, cruzado da direita, à direita de Giovanni, com perigo.

Aos 21 minutos Giovanni fez o primeiro milagre na partida, Rodrygo que havia acabado de entrar fez a jogada pela direita e cruzou para a grande área onde Jean Mota estava pronto pra fazer o gol, Ferreira chegou e jogou a bola contra o próprio gol, mas Giovanni conseguiu fazer uma grande defesa, no puro reflexo, quase em cima da linha e evitou o gol contra, a bola ainda ficou viva na grande área, mas a defesa Bugrina conseguiu afastar o perigo.

Pressão total, aos 22 minutos Jean Mota bateu firme pro gol, e pra sorte do Bugre a bola saiu com perigo. Aos 28 minutos Carlos Sánchez cobrou falta da meia direita buscando o ângulo e outra vez Giovanni voou pra bola e fez grande defesa, evitando novamente o segundo gol.

A noite não era do Bugre, aos 32 minutos Osmar Loss teve que fazer sua terceira alteração por lesão, desta vez foi Deivid quem sentiu e teve que deixar o campo pra entrada de Carlinhos. Aos 34 minutos o santos outra vez marcou, mas desta vez quem estava impedido era Derlis e o árbitro paralisou a jogada.

Giovani cai atrasado na cobrança de falta e a bola entra no seu canto esquerdo. Santos 2×0 Guarani. Imagem: Reprodução – SporTV.

Mas não teve jeito, depois de ao menos duas grandes defesas, Giovanni falhou. Falta pro Santos na meia, pelo lado direito da grande área aos 35 minutos, Jean Mota bateu buscando o canto esquerdo baixo de Giovanni, a bola passou por Carlinhos, o goleiro Bugrino caiu atrasado e a bola entrou entre Giovanni e a trave. Gol do Santos, falha do Bugre, Santos 2×0 Guarani.

O Bugre só voltou ao ataque aos 38 minutos quando Thiago Ribeiro recebeu a bola na meia e da entrada da grande área bateu de primeira pro gol, mas Vanderlei estava bem posicionado, caiu bem e fez firme defesa. Aos 40 minutos outra boa chegada do Bugre, Thiago Ribeiro, como meia, viu bem a passagem de Álvaro pela direita e rolou a bola pro atacante que chegou batendo forte, e desta vez Vanderlei fez grande defesa, sem rebote, evitando o primeiro do Bugre.

Rodrygo cabeceia sozinho e marca o terceiro aos 44 minutos. Santos 3×0 Guarani. Imagem: Reprodução – SporTV.

E no final do jogo ainda deu tempo do terceiro gol. Jean Mota virou uma bola da direita pra esquerda, Derlis Gonzales com muita velocidade conseguiu evitar a saída de bola, avançou, invadiu a grande área, chegou a ser derrubado e mesmo caído conseguiu cruzar para Rodrygo que entrou sem nenhuma marcação na pequena área pela direita e tocou pro fundo do gol. Santos 3×0 Guarani, jogo e placar definidos no Pacaembu.

Esta foi a terceira derrota do Bugre no Paulistão e a primeira chance de chegar à segunda colocação do Grupo B não foi aproveitada. Foi um jogo marcado pela fatalidade, três alterações feitas por lesão desmontaram totalmente qualquer planejamento que o time tivesse pro decorrer do jogo, restou ao time tentar se equilibrar, se reencontrar e fazer frente ao Santos fora de casa.

Não deu, com um ataque poderosíssimo o time santista jogou melhor, se impôs e fez 3×0 até com certa facilidade. O Bugre até poderia ter mudado a história do jogo, teve duas boas oportunidades de empatar quando a partida estava 1×0 e, principalmente quando Fernando Viana perdeu gol depois de driblar o goleiro, perdeu um gol que não se pode perder, depois sentiu o segundo gol e acabou tomando, no finalzinho, o terceiro.

Agora a equipe terá que buscar a recuperação jogando em casa onde terá dois jogos seguidos. No sábado recebe o São Caetano, às 16:30 e depois, pela nona rodada, recebe a Ferroviária.

Só duas vitórias manterão o Guarani na briga pela classificação á segunda fase do Paulistão.

 

Marcos Ortiz

 

Continue Lendo

Jogos e Resultados

Bugre sofre gol aos 45, perde para o Avenida e está eliminado na Copa do Brasil

Publicado

em

Por

Foto: Colaboração de Fábio Araújo.

Chegou o dia de jogar a primeira fase da Copa do Brasil. O Bugre foi até Santa Cruz do Sul enfrentar o Avenida e precisava ao menos de um empate para voltar a Campinas com a vaga assegurada para a próxima fase e enfrentar o Corinthians.

Como esperado, o técnico Osmar Loss fez apenas uma alteração na equipe que venceu o Botafogo no domingo, a entrada de Diego Giaretta no lugar de Victor Ramos que permaneceu em Campinas. O time que iniciou a partida teve Giovanni; Léo Príncipe, Ferreira, Diego Giaretta e William Matheus; Deivid, Ricardinho, Thiago Ribeiro e Álvaro; Diego Cardoso e Fernando Viana.

Já o Adversário que poupou sete titulares no jogo do final de semana quando foi goleado pelo Grêmio por 6×0 tinha entre seus titulares um ex-Bugrino, o atacante Cleverson que jogou pelo Bugre em 2009. O técnico Fabiano Daitx levou o Avenida a campo com Fabiano; Thiago, Yuri, Claudinho e Roger; Carlinhos, Felipe Manoel, Jô e Welder; Flavio Torres e Cleverson.

Dentro de Campo

Depois de um começo de jogo sem maiores emoções, o Bugre conseguiu se impor depois dos 10 minutos e começou a buscar a abertura do placar e já poderia ter conseguido aos 15 minutos quando William Matheus viu bem a chegada de Diego Cardoso e fez o passe, o atacante Bugrino cortou a marcação do adversário e bateu forte pro gol, mas com o goleiro Fabiano já batido a bola explodiu no travessão. Era o primeiro gol desenhado em Santa Cruz do Sul.

Aos poucos o Avenida até equilibrou a partida, mas o Guarani controlava bem o adversário e tomava toda a iniciativa do jogo, exercendo boa marcação nas tentativas de contra ataque do adversário. Aos 32 minutos troca de passes de Thiago Ribeiro com Fernando Viana que bateu pro gol, a bola explodiu na marcação e subiu, Léo Príncipe ainda tentou de cabeça, mas acabou jogando pra fora do gol.

Sem novas chances claras de gol na primeira etapa, aos 47 minutos o árbitro encerrou a primeira metade do jogo, restava esperar que o gol saísse na segunda etapa e a classificação fosse assegurada e Osmar Loss voltou com a mesma formação.

E a primeira chance surgiu logo no primeiro minuto, pela esquerda Diego Cardoso recebeu bom passe e bateu cruzado pro gol, mas o goleiro Fabiano estava atento e conseguiu fazer boa defesa evitando o primeiro gol do jogo. Aos 03 minutos outra chance, Thiago Ribeiro chegou pela esquerda e bateu pro, o chute saiu perigoso, mas pela linha de fundo e na sequência da jogada William Matheus recebeu cartão amarelo.

Aos 08 minutos dois jogadores do Guarani tiveram problemas, o volante Deivid caiu, aparentemente sentindo o joelho esquerdo e o zagueiro Diego Giaretta precisou de atendimento com um corte no supercílio, e só depois de 03 minutos voltou ao campo com uma touca na cabeça. O Avenida voltou mais adiantado pra segunda etapa e aos 12 minutos perdeu boa oportunidade, bola levantada pra grande área, a defesa do Bugre falhou e Welder cabeceou sozinho, mas pra sorte de Giovanni, pela linha de fundo, assustando.

Precisando vencer e jogando em casa, o Avenida não tinha outra alternativa senão se lançar pro ataque, restava ao Bugre reforçar a marcação e se armar pra explorar o contra ataque sempre nas arrancadas. Numa delas Thiago Ribeiro avançou em velocidade e cruzou para Fernando Viana fazendo o papel de camisa 9 centralizado, mas o atacante Bugrino não alcançou e a bola saiu pela linha de fundo. Faltava encaixar o último passe.

Aos 20 minutos o Avenida chegou novamente com perigo pela esquerda com Welder que cruzou perigosamente pra grande área e Léo Príncipe conseguiu afastar o perigo. Vendo o adversário ganhar o meio de campo,  Osmar Loss fez sua primeira alteração aos 24 minutos, saiu Thiago Ribeiro, o principal jogador ofensivo, pra entrada do volante Romisson, detalhe, Thiago Ribeiro deixou o campo, apesar da atuação apagada de Álvaro.

O tempo ia passando e o Guarani não conseguia voltar a criar nenhuma jogada ofensiva, o controle do jogo era todo do Avenida que chegava em velocidade sempre pelos lados do campo, ora pela direita, ora pela esquerda. Aos 32 minutos Osmar Loss fez sua segunda mudança, saiu Diego Cardoso pra entrada de Lucas Crispim.

Aos 34 minutos faltou pouco pro Avenida abrir o placar, Marcio fez a jogada e avançou pela esquerda e cruzou pra grande área, Marcos Paraná conseguiu dominar livre de marcação dentro da grande área e soltou uma bomba, a bola saiu à direita de Giovanni que se esticou, mas não conseguiu tocar e, pra sorte do Bugre ela saiu pela linha de fundo, tocando no pé da trave. Ufa!

Tomando sufoco, aos 38 minutos Ricardinho cometeu falta perigosa em Alexandre e recebeu cartão amarelo. Na cobrança da falta a bola ficou viva dentro da grande área até que Deivid conseguisse afastar o perigo. Que sufoco!

O Guarani começou a repetidamente cometer faltas nas proximidades da grande área dando ao adversário a chance de levantar a bola pra grande área e aos 42 minutos Osmar Loss fez sua terceira alteração, finalmente saiu Álvaro, sumido no jogo, mas pra entrada de Inácio, visivelmente reforçando a marcação pelo lado esquerdo da defesa Bugrina por onde o Avenida atacava com facilidade.

E não teve jeito, aos 45 minutos, depois de pressionar muito o Avenida chegou ao gol. Welder disputou a bola e ganhou pelo lado esquerdo, cruzou pra grande área e Flávio Torres subiu pra cabecear pro fundo do gol, sem nenhuma chance de defesa pra Giovanni. O Guarani pediu pra tomar o gol, se fechou demais na segunda etapa e se despediu da Copa do Brasil ainda na primeira fase, frustrando sua Torcida.

O árbitro deu 09 minutos de acréscimos, ainda deu tempo de o Avenida criar outra oportunidade aos 48 minutos num chute forte de Alexandre que Giovanni conseguiu defender. Aos 51 minutos Ricardinho recebeu a bola na meia e bateu pro gol, a bola saiu forte, mas pela linha de fundo, raspando a trave.

Fim de jogo em Santa Cruz do Sul, no seu retorno à Copa do Brasil o Guarani falhou logo na sua primeira decisão do ano, sem conseguir respirar prendendo a bola no campo ofensivo, o Bugre não conseguiu resistir à pressão do Avenida e sofreu o gol no final da partida. Criou pouco, jogou apenas um tempo, se defendeu no segundo tempo, e não resistiu.

Agora o time volta a campo na próxima segunda feira às 20:00 outra vez fora de casa. No campeonato que lhe resta o Bugre enfrenta o Santos pela sétima rodada do Paulistão.

Foi brochante demais.

 

Marcos Ortiz

Continue Lendo

Jogos e Resultados

Mirassol 2×2 Guarani – Muitos erros na defesa e gol no finalzinho salvando a pátria

Publicado

em

Por

Muita festa no gol de Thiago Ribeiro - Imagem: Reprodução - Premiere FC.

Num daqueles crimes do futebol brasileiro que marca, num país tropical, em pleno verão, partidas para as 11:00 da manhã (10:00 no horário normal), o Bugre voltou a campo antes de completar 72 horas da vitória sobre o São Paulo na quinta feira e o jogo era na quente Mirassol.

Com apenas um dia de treinamento, Osmar Loss não fez nenhuma mudança em relação ao time que enfrentou o São Paulo, o Bugre entrou em campo com Klever; Léo Príncipe, Ferreira, Diego Giaretta e William Matheus; Romisson, Ricardinho, Felipe Amorim e Lucas Crispim; Thiago Ribeiro e Diego Cardoso.

Com mais que um sol pra cada um, assim foi a história do jogo:

Ao menos nos minutos iniciais o desenho do jogo, não do placar, não mudou, o Mirassol começou a partida tomando todas as iniciativas ofensivas contra um Guarani mais uma vez limitado apenas a se defender. Até os 10 minutos de jogo o Bugre só passou do meio de campo afastando bolas na defesa, sem nenhum esboço de contara ataque. Aos poucos o panorama começou a melhorar e o Guarani conseguia colocar a bola no chão e tentar se armar para contra atacar, mas lances de perigo mesmo de lado a lado, nada.

O placar do jogo começou a mudar depois de uma falha do goleiro Kléver. Aos 19 minutos num chute da meia esquerda ele caiu bem no canto esquerdo pra fazer fácil defesa, mas soltou a bola e Wilson chegou na pequena área dividindo a bola, Klever conseguiu se recuperar o suficiente pra desviar pela linha de fundo com o gol aberto. No lance ele precisou de atendimento médico e o jogo ficou parado por quatro minutos.

Na imagem: 9 jogadores dentro da grande área e Leandro amaro ainda tem que se abaixar pra cabecear. Falha inaceitável. Imagem: Reprodução – Premiere FC.

Na cobrança do escanteio não teve jeito, o Mirassol abriu o placar. Jean Carlos cobrou pela direita e pegou mal na bola, mas a defesa Bugrina falhou incrivelmente no lance e praticamente assistiu Leandro Amaro chegar no segundo pau e ter até que se abaixar pra cabecear pro fundo do gol.  O Bugre tinha nove jogadores dentro da grande área mais o goleiro, e ninguém esboçou marcar, nem zagueiro, nem lateral, nem volante, nem goleiro, absolutamente ninguém marcou ninguém e o Bugre saiu atrás no placar, Mirassol 1×0 Guarani.

E ai o que fazer? Correr atrás do lucro, porque o prejuízo estava consolidado, e só depois de tomar o gol o Bugre saiu pro ataque de forma organizada pela primeira vez na partida, foi aos 29 minutos quando Thiago Cardoso recebeu a bola na meia, fez o papel de pivô e ajeitou para Felipe Amorim chegar batendo, mas o chute não saiu tão bom e o goleiro Thiago Cardoso fez a defesa no seu canto direito. No lance seguinte o Bugre perdeu um gol feito.

Lucas Crispim joga pra fora a principal chance do Bugre no 1º tempo. Imagem: Reprodução – Premiere FC.

Boa troca de passes e pela primeira vez o time conseguiu se posicionar bem em campo saindo rápido e Ricardinho fez bom passe pra Diego Cardoso por trás da marcação, na linha de entrada da grande área ele ajeitou e rolou perfeita para Lucas Crispim que chegou sozinho na esquerda e, dentro da grande área, ele bateu cruzado buscando o canto esquerdo do goleiro Thiago Cardoso, mas tirou de mais e a bola saiu pela linha de fundo, raspando a trave. Não pode perder um gol desses Crispim.

A defesa, ponto forte da partida anterior não repetia a atuação, desprotegida na cabeça de área com uma atuação fraca de Romisson e sem cobertura pelas laterais, o Bugre sofria com bolas levantadas. Aos 34 minutos outra vez foi assim que o Mirassol chegou e William Alves teve a chance de cabecear, mas pra sorte do Bugre jogou de zagueiro e perdeu o segundo gol.

Logo após esse lance o goleiro Kléver pediu substituição e Giovanni entrou em seu lugar.

O calor era forte e os dois times sentiram muito a temperatura nos minutos finais. No Bugre com atuações muito fracas do sistema defensivo todo, do volante Romisson, do meia Felipe Amorim, do atacante Thiago Ribeiro e com Lucas Crispim perdendo a principal chance de gol, o placar não podia ser diferente, Mirassol 1×0 Bugre. Restava torcer pra que isso mudasse na segunda etapa.

O time voltou sem nenhuma mudança, mas a postura era diferente e logo no primeiro minuto o Guarani foi prejudicado pelo árbitro, bola cruzada na grande área e caído no chão o zagueiro do Mirassol cortou com o braço, em cima do lance o árbitro nada marcou, pra muita reclamação dos Bugrinos.

No ângulo! Thiago Ribeiro de fora da área marca um golaço! Mirassol 1×1 Bugre. Imagem: Reprodução – Premiere FC.

No lance seguinte o gol saiu e foi um golaço! Thiago Ribeiro recebeu a bola na meia pela esquerda, próximo ao bico da grade área ele cortou a marcação e soltou o pé metendo a bola no ângulo esquerdo de Thiago Carvalho, sem nenhuma chance de defesa. Um golaço, primeiro de Thiago Ribeiro pelo Bugre, Mirassol 1×1 Guarani, era manter o ritmo e buscar a virada.

Mas o Bugre tinha um problema sério em campo que precisava ser corrigido, sua defesa não funcionava, principalmente nas bolas aéreas e Leandro Amaro ia fazendo a festa. Aos 09 minutos ele recebeu sozinho, na linha da pequena área, o cruzamento vindo da esquerda e cabeceou, mas pegou mal na bola e ela saiu por cima do gol. Era um gol feito.

O Mirassol só tinha uma jogada, levantar bola pra grande área do Bugre e a cada cruzamento era um sofrimento, realmente a atuação do sistema defensivo não era boa, com Diego Giaretta já amarelado e Ferreira não conseguindo se posicionar, as laterais continuavam desprotegidas. Mas lá na frente o time começava a se soltar e conseguia segurar a bola nos pés, trocando passes e se mantendo mais tempo no campo ofensivo.

Aos 22 minutos o Mirassol levou perigo num chute da meia direita de Jean Carlos que buscava o canto direito de Giovanni, mas o goleiro Bugrino caiu bem e conseguiu espalmar pra escanteio. Você se lembra que a defesa era o ponto fraco do time? Pois é, aos 23 minutos ela tanto tentou que conseguiu… deu mais um gol ao Mirassol, mais um gol a Leandro Amaro. Na cobrança do escanteio Leandro Amaro subiu outra vez sozinho no meio da defesa do Guarani e cabeceou no canto direito de Giovanni, desta vez sem chance de defesa.

Sem defesa não dá! Mirassol 2×1 Guarani, outra vez prejuízo no lance que parecia caçapa cantada, era a única jogada do Mirassol e o Bugre não conseguia marcar.

Perdendo o jogo, o Bugre fez sua segunda mudança aos 28 minutos, saiu Lucas Crispim, peso morto em campo, pra entrada de Fernando Viana. Pouco depois, por lesão, Osmar Loss teve que fazer a terceira, Felipe Amorim sentiu lesão muscular e foi substituído por Inácio.

Aos 36 minutos Thiago Ribeiro cometeu falta na defesa e recebeu cartão amarelo, o Bugre estava completamente batido e sem reação em campo e não conseguia sequer atacar, mesmo com a presença de um atacante de referência em campo, já a sina da defesa ruim continuava forte e os sustos iam aumentando a cada nova jogada do Mirassol.

Felipe Amorim cobrando pênalti empata pro Bugre aos 47 minutos. Imagem: Reprodução – Premiere FC.

E quando tudo parecia caminhar pra uma derrota, aos 46 minutos cruzamento da esquerda, a bola atravessa toda a grande área do Mirassol e infantilmente Carlos Roberto colocou a mão na bola dentro da grande área, o árbitro viu e marcou pênalti pro Guarani, era a chance de salvar a manhã trazendo ao menos um ponto de Mirassol. Aos 47 minutos Diego Cardoso cobrou, não bateu bem, mas foi o suficiente pra acertar o canto esquerdo do goleiro Thiago Carvalho que por pouco não conseguiu a defesa. Gol do Bugre no apagar das luzes, 47 minutos e Diego Cardoso cobrando pênalti marca seu segundo gol no Paulistão, Mirassol 1×1 Guarani. Ufa!!!

Aos 51 minutos o árbitro terminou a partida. Mais uma vez aquilo que venho dizendo há algum tempo, estamos tropeçando nas pedras pequenas do campeonato. Não vai adiantar nada ganhar só dos times chamados grandes, o Guarani precisa começar a se impor diante dos menores e nesta manhã perdeu uma grande chance de vencer e encostar no Palmeiras, líder do Grupo B.

Mas o que chamou atenção negativamente foi a atuação não apenas de um jogador, mas de todo o sistema defensivo Bugrino que errou demais, deu espaços demais, não marcou as laterais, não marcou a cabeça da área e não conseguiu se posicionar nas jogadas aéreas. Dessa vez a defesa que no jogo passado deu a vitória do Bugre sobre o São Paulo, tirou do Bugre sua terceira vitória na competição. Menos mal que o time conseguiu ao menos chegar ao empate no finalzinho e traz um pontinho que pode ser importante no final da primeira fase.

Osmar Loss terá que trabalhar e, por que não, pensar em mudanças no setor defensivo. Agora é esperar a próxima rodada que será no domingo (10/02) no Brinco contra o Botafogo, às 20:00 e nem é preciso dizer que só uma vitória interessa, resta saber o que fará o técnico Bugrino, pois uma atuação tão abaixo do nível assim de todo um setor do time, não pode passar sem que o treinador tome providências imediatas.

 

Marcos Ortiz

Continue Lendo
Advertisement

Guarani 2×0 Botafogo – Imagens do PG


	
	
	

Clique para ativar o som

Próxima Partida – 23/02 – 16:30

Campeonato Paulista

Guarani X São Caetano

Estádio Brinco de Ouro da Princesa

+ Recentes

Classificação – Grupo B

PosTimeJVSGPG
174514
273012
373-110
470-83

Classificação – Geral

PosTimeJVSGPG
1761018
274514
374514
473312
573012
673510
773-110
873-110
97329
107229
117209
1272-39
1371-85
1471-44
1570-74
1670-83

Copyright © Planeta Guarani - Todos os Direitos Reservados - Permitida Divulgação Apenas com Preservação da Fonte - Desenvolvido por: OZ Sites.