Siga-nos

Jogos e Resultados

Bugre sai perdendo, busca o empate com gol de Davó e volta com um ponto do Recife

Publicado

em

Precisando vencer pra tentar deixar o Z4 da Série B, o Guarani tinha um jogo dificílimo fora de casa contra o Sport que entrou em campo na quarta colocação da competição.

E antes da partida quando saiu a escalação, o técnico Roberto Fonseca fez uma aposta arriscada, mexeu muito no time que, se não havia feito uma grande partida, ao menos havia conseguido vencer o jogo e voltou com algumas peças que não vinham agradando o Torcedor, casos de Ferreira na zaga e Vitor Feijão no ataque. Além disso, Fonseca tirou Lenon e entrou com Bruninho na lateral direita e voltou ao improviso de Diego Giaretta na esquerda, muita coisa pra quem ainda busca melhor entrosamento.

O Bugre jogou com Jefferson Paulino (Kléver); Bruno Souza, Ferreira, Luiz Gustavo e Diego Giaretta; Deivid, Ricardinho, Igor Henrique e Vitor Feijão (Deivid Souza); Davó e Michel Douglas (Arthur Rezende).

Segundo o treinador as mudanças foram para “preservar fisicamente os jogadores”, e assim o Torcedor sentiu um calafrio antes do apito inicial do jogo.

Dentro de Campo

Não demorou muito, pouco mais de dois minutos e o Sport já chegou levando muito perigo. Cobrança de escanteio pela esquerda, Ricardinho conseguiu afastar no meio da grande área, mas o rebote sobrou com Raul Prata que tocou para Hernane, ele saiu cara a cara com Jefferson que conseguiu sair os pés do atacante e desviar a bola pela linha de fundo.

E os minutos iniciais mostravam um jogo de ataque contra defesa, o Sport saiu na pressão alugando meio campo contra um Guarani que, sem nenhum armador em campo, quase não passava do meio de campo. Lá atrás Luiz Gustavo era o principal jogador da defesa Bugrina afastando como dava as bolas da grande área.

O jogo não mudava, pelo Guarani o jogador que tentava voltar para trabalhar a bola no meio de campo era Vitor Feijão, sem nenhum sucesso, já o Sport seguia na pressão, esbarrando até então na forte marcação da defesa Bugrina. A primeira vez que o Bugre chegou à grande área do Sport foi aos 15 minutos, nada que empolgasse, foi numa cobrança de lateral de Bruno Souza que a defesa cortou com facilidade.

E não teve jeito, sabendo das dificuldades defensivas do Guarani, o Sport abriu o placar aos 18 minutos numa jogada individual de Ezequiel pela esquerda. Ele passou pela marcação de Bruninho, tocou a bola para Guilherme que ameaçou bater, mas viu bem a jogada e recuou para Yan que chegava sem nenhuma marcação na meia lua da grande área, ele chegou batendo pro gol de longe, o goleiro Jefferson chegou a tocar na bola, mas não o suficiente para evitar. Sport 1×0 Guarani, caçapa cantada, levar gol pra um time que absolutamente não tem segurança defensiva e foi ao Recife com a única proposta de se defender.

Perdendo o jogo, restava ao Guarani tentar transformar um time montado apenas pra se defender em um time que conseguisse criar alguma coisa ofensivamente, o time até conseguia chegar ao campo de ataque, mas em matéria de jogadas ofensivas ou chutes a gol, não produzia absolutamente nada, já o Sport, com o placar a seu favor, diminuiu o ritmo e passou a administrar o placar, dando espaço e nitidamente tentando jogar no erro do Bugre.

Aos 29 minutos o goleiro Mailson do Sport tocou na bola pela primeira vez, cruzamento da direita para a grande área e Davó apareceu no meio da marcação pra cabecear, mas pegou mal, a cabeçada saiu fraca, pra fácil defesa do goleiro.

Mas futebol é tudo, menos lógico e aos 36 minutos o Bugre chegou ao empate! A jogada começou com Bruno Souza no campo defensivo, ele recuperou uma bola e saiu jogando com Igor Henrique, seguiu pro campo de ataque acompanhando a jogada e depois conseguiu pegar um rebote perto da grande área, ergueu a cabeça e viu bem a passagem de Matheus Davó no meio da defesa, o lateral Bugrino deu um lindo lançamento pro camisa 9, de prata da casa pra prata da casa, ele recebeu a bola por trás da zaga, encarou o goleiro Mailson e com muita tranquilidade tocou a bola no meio das suas pernas, pro fundo do gol!!!! Gol do Bugre, golaço de Davó, primeiro gol dele como profissional e ele se emocionou na comemoração, Sport 1×1 Guarani, agora era arrumar a casa e recomeçar tudo de novo.

A emoção de Matehus Davó comemorando seu primeiro gol como profissional. Imagem: Reprodução – Premiere FC.

O gol do Guarani fez o jogo voltar ao desenho inicial, o Sport voltou a se lançar ao ataque em busca do segundo gol e faltou muito pouco pra conseguir, antes porém, aos 41 minutos, Roberto Fonseca recebeu cartão amarelo por reclamação. Aos 43 minutos Ezequiel recebeu a bola na esquerda e cruzou no segundo pau pra Adryelson cabecear dentro da pequena área, sozinho, mas pra sore do Bugre ele jogou a bola pela linha de fundo, com muito perigo.

Pouco depois, aos 45 minutos Davó fez boa jogada pela direita e quando tentou tocar a bola para Michel Douglas no meio da grande área acabou errando o passe e a defesa do Sport afastou o perigo. Aos 48 minutos o árbitro encerrou a partida e o Guarani desceu para os vestiários comemorando o empate e podendo se reorganizar para, quem sabe, na segunda voltar com um time mais equilibrado e tentar a vitória.

Os dois times voltaram com as mesmas formações para a segunda etapa, mas logo no primeiro minuto o goleiro Jefferson saiu pra cortar um cruzamento, levou uma cabeçada de Adryelson e cai parecendo desacordado na pequena área, depois soube-se que ele não perdeu a consciência naquele momento. Ele foi atendido em campo, chegou a se levantar e pedir pra continuar em campo, mas em seguida caiu novamente e teve que ser substituído por Kléver.

Logo na sua primeira participação Kléver fez uma grande defesa, aos 07 minutos a defesa do Guarani não conseguiu impedir um cruzamento da linha de fundo pela direita e Charles apareceu à frente de Luiz Gustavo dentro da grande área pra bater de primeira, o goleiro Bugrino com muito reflexo espalmou a bola e em seguida a defesa afastou o perigo. Grande defesa de Kléver evitando o segundo gol.

E o jogo voltou ao que era no início da primeira etapa, o Sport pressionava e o Guarani pouco conseguia passar do meio de campo, mas o time da casa não conseguia concluir em chances de gol o domínio da partida. Só aos 20 minutos Ezequiel recebeu passe na meia, pela esquerda e bateu forte, na entrada da grande área, mas por cima do gol, levando perigo a Kléver.

O Bugre até tinha o contra ataque à sua disposição, mas não conseguia armar as jogadas no meio de campo e restava apostar na ligação direta do sistema defensivo, o famoso chutão, que quase sempre acabava afastado pela defesa adversária.

Aos 25 minutos o Sport perdeu uma grande oportunidade, a bola foi cruzada da esquerda para a grande área, Kléver saiu mal e não alcançou a bola, o Sport recuperou pela direita e a bola chegou até Leandrinho, livre, na entrada da grande área ele bateu firme pro gol, mas a bola à esquerda do gol, assustando muito.

Se o Torcedor Bugrino já estava assustado com os retornos de alguns jogadores ao time titular, ele voltou a ficar assustado quando aos 26 minutos Roberto Fonseca fez sua segunda alteração, não pela saída de Michel Douglas que pouco produziu, mas pela entrada de Deivid Souza, ou seja, tudo como dantes pelos lados Bugrinos no conceito de Roberto Fonseca, restava torcer pra que dessa vez as coisas fossem diferentes com a bola rolando.

Aos 29 minutos Ferreira cometeu uma falta sobre Elton no bico esquerdo da grande área e recebeu cartão amarelo. Guilherme cobrou a falta com perfeição e Kléver fez sua segunda grande defesa na partida, desviando a bola com a ponta dos dedos por cima do travessão, evitando o segundo gol. Só um time tentava o ataque e infelizmente era o Sport, a entrada de Deivid Souza não surtia nenhum efeito, principalmente pelo fato de o Guarani não ter um meia no meio campo, apostando só nos chutões da defesa.

Roberto Fonseca tentou corrigir e aos 38 minutos sacou Vitor Feijão para a entrada de Arthur Rezende e pronto, a volta do trio Ferreira, Arthur Rezende e Deivid Souza estava sacramentada.

Aos 39 minutos o Bugre teve sua primeira boa chance na etapa final, Davó se aproveitou de uma falha na marcação no meio de campo, dominou a bola e arrancou em direção à grande área, viu a passagem de Deivid Souza, mas o passe não saiu tão bom, ainda assim Deivid Souza conseguiu devolver a bola pra Davó na entrada da grande área, ele tentou finalizar, mas o chute acabou em cima da maração do zagueiro e o Sport afastou o perigo.

O Bugre ficou com um jogador a mais, o Sport já havia feito as rês alterações e Lazzaroni sentiu lesão, deixando o gramado. Aos 41 minutos veio a chance da virada, bola levantada pra grande área e Matheus Davó apareceu livre dentro da grande área pela direita, era tocar pro gol e sair pro abraço, mas ele pegou mal na bola e jogou cruzado, pra fora, à direita do goleiro.

O árbitro deu 09 minutos de acréscimos e aos 50 minutos foi a vez de Deivid Souza perder outro gol feito, ele recebeu a bola na entrada da pequena área pela direita, cara a cara com o goleiro e bateu cruzado, mas a bola saiu à direita, levando perigo, porém, pela linha de fundo. Era o gol da vitória.

Fim de jogo em Recife e o resultado não foi ruim, ruim é a situação do Guarani na tabela de classificação. A equipe volta do seu primeiro confronto contra as equipes que estão na parte de cima da cabeça com um ponto conquistado jogando fora de casa, mas ficou a constatação que se tivesse ousado um pouco mais, teria vencido a partida.

Agora a equipe volta a campo na próxima sexta feira contra o Red Bull (Bragantino), líder da Série B, o que não diminui em nada a necessidade de vencer.

 

Marcos Ortiz

Advertisement
Advertisement
Advertisement

A volta da Capa do Gigante


	
	
	

Clique para ativar o som

Próxima Partida – 16/11 16:30

Brasileiro - Série B

Guarani FC X Operário-PR

Campeonato Brasileiro - Série B

+ Recentes

Copyright © Planeta Guarani - Todos os Direitos Reservados - Permitida Divulgação Apenas com Preservação da Fonte - Desenvolvido por: OZ Sites.