Siga-nos

Jogos e Resultados

Bugre perde o dérbi e a dignidade no que deveria ser a despedida de Loss e boa parte do time

Publicado

em

Imagem: Reprodução - SporTV.

Este texto encerraria a matéria, mas o que aconteceu dentro de campo foi tão ridículo que vai abrir a cobertura. Acabou o dérbi e pra mim acabou a era de Osmar Loss e de boa parte do atual elenco no Guarani.

O Bugre entrou em campo pra jogar um dérbi, só se esqueceu que o jogo tinha pouco mais de 90 minutos, jogou 30 e assistiu o restante do jogo, resultado: Foi derrotado por 3×0 e por pouco não perdeu por um placar ainda mais vergonhoso.

Com um treinador incapaz de mudar o estilo de jogo, um elenco formado por bois cansados e outros desinteressados, caso do atacante Anselmo Ramon por exemplo, figura nula não só neste, mas em todos os jogos que disputou nesta temporada, o Paulistão acabou e agora resta se preparar pra disputa da Série B do Campeonato Brasileiro no segundo semestre.

Se tinha quatro objetivos neste começo de ano, o primeiro não cair no Paulista, o segundo avançar ao menso à segunda fase da Copa do Brasil, o terceiro vencer o dérbi e o quarto se classificar para a segunda fase do Paulistão, Loss, seu elenco e os responsáveis pelo departamento de futebol Bugrino entregaram muito pouco, forçando a Torcida Bugrina mais uma vez a se conformar apenas com a manutenção na competição da próxima temporada.

Foi o fim de uma era marcada por jogadores e um treinador que ao invés de se preocuparem em melhorar seu rendimento dentro de campo preferiram partir pros microfones e reclamar da Torcida que vaiava jogos e atuações ruins, medíocres, medonhas. Realmente não poderia dar certo.

Agora confira como foi o jogo

Pronto, tinha chegado a hora do jogo mais esperado do Paulistão, o Dérbi. Pro Bugre um jogo importante pro Campeonato Paulista e pra rivalidade, já do outro lado apenas um amistoso pois o time mandante entrou em campo matematicamente eliminado da competição.

E pra não seguir o mesmo caminho o Guarani dependia apenas de uma vitória, nenhum outro resultado deixava a equipe com chances de classificação para a segunda fase da competição.

Giovanni; Léo Príncipe, Ferreira, Diego Giaretta e William Matheus; Deivid, Ricardinho, Felipe Amorim e Thiago Ribeiro; Diego Cardoso e Anselmo Ramon. Imagem: Reprodução SporTV.

Diante de um gramado muito pesado e castigado pelas chuvas e sem contar com sua Torcida nas arquibancadas, o técnico Osmar Loss levou a campo o time que nós antecipamos ainda na última terça feira, sem nenhum improviso: Giovanni; Léo príncipe, Ferreira, Diego Giaretta e William Matheus; Deivid, Ricardinho, Felipe Amorim e Thiago Ribeiro; Diego Cardoso e Anselmo Ramon.

E assim foi a história do Dérbi 193 válido pela primeira fase do Campeonato Paulista de 2019:

Gramado muito molhado com poças d’água principalmente pelo lado esquerdo de ataque do Guarani e um jogo que começou com o ritmo diminuído, com os dois times tentando se adaptar ao campo e buscando espaços pra jogar.

Na primeira confusão do jogo Ricardinho é derrubado na marcação de uma bola parada. Imagem: Reprodução SporTV.

Enquanto o adversário tentava o toque de bola, o Bugre, ao menos no início, optava por lançamentos longos, todos cortados pela defesa, mas desde o início ficou claro que o jogo do outro time seria levantar bola pra grande área Bugrina. Pouco depois, aos 09 minutos mais confusão e por reclamação Ricardinho recebeu carão amarelo junto com o camisa 5 adversário.

A essa altura o Guarani era melhor em campo e conseguia manter a bola no seu campo de ataque, ai surgiu a primeira chance de gol e Diego Cardoso perdeu um gol feito aos 12 minutos de jogo.

Diego Cardoso cabeceia com o gol aberto e joga à esquerda, raspando a trave. Imagem: Reprodução SporTV.

Escanteio cobrando por Thiago Ribeiro pela esquerda a bola atravessou toda a grande área e Diego Cardoso apareceu livre de marcação dentro da pequena área no segundo pau, ele subiu e cabeceou mas a bola saiu raspando a trave esquerda já sem goleiro. É mais um daqueles gols que não podem ser perdidos em qualquer jogo, principalmente num dérbi.

Melhor em campo o Bugre por pouco não abriu o placar novamente aos 19 minutos. Thiago Rieiro recebeu a bola pela esquerda, avançou e de fora da área bateu forte pro gol buscando o ângulo direito do goleiro, a bola saiu lambendo a trave e acabou na rede pelo lado de fora. Belo chute de Thiago Ribeiro, quase o Guarani de novo.

Jogo tenso claro, e aos 20 minutos Ferreira matou um contra ataque que poderia ser perigoso, mas fez uma falta perigosa na entrada da grande área, frontal, e por isso recebeu cartão amarelo.

Aos 24 minutos de novo Guarani, Anselmo Ramon escorou cruzamento da esquerda de cabeça e jogou a bola no canto baixo direito do goleiro que conseguiu defender jogando a bola pra escanteio. Do meio pra frente era um jogo quase perfeito do Guarani, se impondo diante do adversário e muito mais perto do primeiro gol.

No primeiro chute a gol do adversário, aos 28 minutos o camisa 10 arriscou de fora da área com o gramado molhado e Giovanni, atento, no meio do gol, fez firme defesa. Pouco depois outra vez de fora da área, desta vez pela esquerda o camisa 11 bateu pro gol e Giovanni outra vez atento, fez boa defesa.

E aos 32 minutos a defesa Bugrina falhou, o camisa 9 avançou como quis pela esquerda, passou pela marcação, invadiu a grande área e rolou a bola para o camisa 8, sem marcação, dentro da grande área ele bateu pro gol e pra sorte do Bugre Ferreira apareceu no carrinho e conseguiu desviar o chute pela linha de fundo. Não pode vacilar.

O jogo já era mais equilibrado, o domínio Bugrino já não existia mais, pelo contrário, era o adversário quem ocupava o campo de ataque e o Guarani tentava se organizar pra explorar os contra ataques, mas passou a errar alguns passes e cometer faltas perigosas na lateral da grande área. Numa delas, aos 40 minutos o árbitro interferiu diretamente no jogo e prejudicou demais o Guarani.

Na imagem o camisa 5 adversário já de joelhos dobrados antes mesmo de chegar perto do zagueiro Ferreira que nem tocou no adversário. O Sr. Raphael Claus prejudicou o Guarani no Dérbi. Imagem: Reprodução SporTV.

Bola levantada pra grande área, a defesa afastou, no rebote o chute de fora da área bateu no braço de Ricardinho, mas o árbitro nada marcou e na sequência da jogada num bate rebate, a bola sobrou pro camisa  5 do adversário, Deivid e Ferreira chegaram na marcação e o árbitro marcou pênalti (inexistente) dizendo que Ferreira que nem encostou no adversário, havia cometido falta. Opinião: Se o árbitro marcasse pênalti no toque no braço de Ricardinho, nada a contestar, mas Raphael Claus visivelmente se arrependeu de ter deixado a jogada seguir e errou ao marcar um pênalti num contato normal dentro da grande área.

Muita reclamação dos Bugrinos e aos 41 minutos o camisa 9 cobrou no canto esquerdo, Giovanni acertou o canto e quase fez a defesa, mas a bola entrou. Erro da arbitragem, erro da defesa Bugrina e gol, o Bugre saia perdendo o dérbi por 1×0.

Aos 43 minutos o camisa 6 adversário recebeu passe no bico esquerdo da grande área, dominou, se livrou da marcação e bateu forte tentando o ângulo direito de Giovanni que voou para a bola e fez grande defesa, jogando pra escanteio, na cobrança do escanteio a bola sobrou pro camisa 7 na grande área pela direita e ele bateu cruzado, a bola saiu com perigo, pela linha de fundo.

O Bugre sentiu demais o gol e não conseguiu reagir antes do final da primeira etapa, ainda deu tempo de Deivid cometer falta na intermediária e receber cartão amarelo, terceiro do Bugre contra também três do adversário na primeira metade do jogo.. O time Bugrino não soube aproveitar as oportunidades que teve quando era melhor em campo, perdeu um gol feito, teve outras duas oportunidades claras e a bola não entrou, depois sofreu um gol num pênalti no mínimo polêmico e foi pros vestiários precisando se reequilibrar pra tentar virar o placar na etapa final.

Osmar Loss voltou pra segunda etapa com a mesma equipe, certamente apostando que jogando pelo lado mais seco do campo o time conseguiria chegar à igualdade e depois partir pra virada no placar, lembrando que para o Guarani derrota ou empate eliminava o time da próxima fase do Paulistão.

A poça d’água matou a marcação Bugrina no lance do segundo gol, o que não tira a falha de marcação da defesa pelo lado direito. Imagem: Reprodução SporTV.

Mas não deu certo, a poça d’água que tantas vezes atrapalhou o Bugre no primeiro tempo ajudou o adversário logo no recomeço do jogo. Aos 03 minutos troca de passes que começou pela direita e terminou invertida pra esquerda, o camisa 6 dominou e quando chutou foi atrapalhado pela poça, mas com isso ele limpou a jogada e conseguiu acertar um segundo chute que entrou rasteiro no canto esquerdo de Giovanni. Complicada a situação, o Bugre agora perdia o dérbi por 2×0 e precisaria de muita força pra tentar uma reação. Se o primeiro tempo terminou ruim, o segundo começou ainda pior.

O Guarani estava perdido em campo, completamente atordoado e dominado quase viu o adversário ampliar o placar aos 06 minutos num cruzamento pra grande área que o camisa 5 escorou, mas Giovanni estava no lance e, mesmo tendo soltado a bola, conseguiu fazer a defesa em dois lances.

O Bugre não conseguia jogar e se expunha demais, tentava sair com velocidade, errava passes, perdia a bola e deixava todos os espaços do mundo pro adversário descer em rápidos contra a taques. Se o técnico Osmar Loss trabalhou alternativas pro decorrer da partida, aos 10 minutos de jogo já era visível que o time precisava de algo diferente, pois havia se tornado presa fácil dentro de campo.

A primeira mudança aconteceu aos 17 minutos, saiu Diego Cardoso, mais uma vez opaco, escondido em campo,  para a entrada de Fernando Viana. A diferença pros últimos jogos de Diego Cardoso é que dessa vez ele teve a oportunidade de marcar e jogou pra fora quando o jogo estava 0x0 e o gol estava aberto na cabeçada.

Chute cruzado, falha da defesa e o braço do goleiro Giovanni ficou curto. Bugre toma o terceiro gol no xiqueiro. Imagem: Reprodução SporTV.

A essa altura do jogo pouca coisa mudava pro Guarani, o time já estava perdendo o dérbi e sendo eliminado na primeira fase do Paulistão, restava ao time tentar ao menso chegar ao empate pra aliviar a pressão da Torcida após o jogo, mas o time não mostrava forças, pelo contrário, errava demais no campo ofensivo e estava prestes a passar vergonha, o que se confirmaria aos 33 minutos quando o camisa 8 recebeu um passe numa invertida de bola, passou como quis pela marcação e bateu cruzado no canto esquerdo de Giovanni que não conseguiu a defesa. O Guarani passava vergonha no dérbi 193 e perdia por 3×0 aos 25 minutos do segundo tempo, e se nada diferente acontecesse, perderia de mais.

Virou jogo de profissional contra time amador no xiqueiro, infelizmente o amador era o Guarani e aos 28 minutos Fernando Viana num lance ridículo se jogou na grande área tentando cavar um pênalti inexistente. Os 25 minutos finais do jogo foram uma síntese do que foi o Guarani nas 10 rodadas anteriores, um NADA.

Aos 31 minutos num lance muito parecido com o do terceiro gol, com os mesmos atores inclusive, o camisa 8 adversário recebeu a bola dentro da grande área e novamente bateu cruzado, desta vez o braço de Giovanni não foi curto e ele acabou fazendo a defesa, o que se espera de um goleiro.

Aos 33 minutos veio a segunda alteração, saiu Thiago Ribeiro pra entrada de Mateusinho e nada mudou, o Bugre seguiu se humilhando em campo, até que aos 41 minutos veio a terceira alteração e pra nós termina aqui a tentativa de traduzir em palavras o que foi o jogo com uma simples explicação: Perdendo o jogo de 3×0 Osmar Loss levou a campo Carlinhos, o jogador que pior vestiu a camisa Bugrina neste Paulistão, o mais questionado e mais criticado pela Torcida, no lugar de Anselmo Ramon que também já pode passar direto do RH e acertar os detalhes da sua rescisão contratual.

Na última rodada o Guarani apenas cumpre tabela contra o Red Bul na quarta feira ás 21:30, no Brinco de Ouro da Princesa. Depois disso nossa expectativa é pra que o time Sub-20 entre em campo e seja eliminado rápido do que se conhece como torneio do interior.

O Bugre não merece ter seu nome envolvido num torneio de consolação.

 

Marcos Ortiz

Advertisement
Advertisement

Guarani 0x2 Vila Nova


	
	
	

Clique para ativar o som

Próxima Partida – 20/08 19:15

Brasileiro - Série B

Operário-PR X Guarani FC

Campeonato Brasileiro - Série B

+ Recentes

Copyright © Planeta Guarani - Todos os Direitos Reservados - Permitida Divulgação Apenas com Preservação da Fonte - Desenvolvido por: OZ Sites.